.

.

31 de julho de 2016

Veja aqui quais os perigos de utilizar o celular ao volante

A obsessão em consultar as redes sociais, escrever sms e distrair-se com aplicativos na internet, a qualquer hora do dia, pode ser prejudicial e perigosa. O risco de nos envolvermos em acidentes aumenta em duas vezes mais, quando fazemos tudo isso ao dirigir. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, dirigir o veículo usando fones nos ouvidos conectados a aparelhagem sonora ou com telefone celular é considerado infração de trânsito média e está sujeita a 4 pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85,13. E isso tudo desde 1997, quando os dispositivos nem eram tão populares assim.

Com mais de 50 milhões de veículos nas ruas do país e 68 milhões de smartphones nas mãos, segundo dados do Denatran e Ibope/Nielsen, é bem provável que, se o motorista der uma olhada pelas janelas, encontre os condutores ao lado fazendo uso dos dispositivos. No entanto, verificar o celular enquanto está dirigindo tem riscos fatais. Ao fazer isso, o motorista se desconcentra da atividade principal e se concentra no celular. Ele leva três, quatro segundos para pegar o telefone. Está com a visão direcionada para o aparelho, a audição voltada para ele, assim como a atenção. 

O avanço da tecnologia já permite realizar e atender chamadas telefônicas, procurar endereços no navegador e ouvir mensagens de texto, tudo isso hands free, ou seja, com as mãos e principalmente os olhos livres para focar no tráfego a ser encarado pelo motorista, já que o áudio é projetado nos alto-falantes do carro. As tarefas podem ser realizadas de modo prático e ainda auxiliam a manter a segurança, tanto para os ocupantes do veículo quanto para as pessoas que estão ao redor.

A consciência dos perigos que envolvem o uso do smartphone ao volante é necessária, pois a maioria dos motoristas não imagina que possam se envolver em consequências graves ou não, graças ao hábito de realizar ligações ou checar mensagens. Por isso, respeitar as leis e pensar em investir em um kit de comando de voz é a melhor forma de lidar com essa obsessão da onipresença dos dispositivos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário