.

.

21 de agosto de 2016

Dar mesada aos filhos pode auxiliar na educação financeira das crianças

Educar seus filhos sobre como gastar bem seu dinheiro é uma missão que os pais devem encarar logo cedo e com muita responsabilidade. Oferecer mesada às crianças pode cumprir algumas finalidades importantes nesse processo: mostrar que o dinheiro é limitado, passar valores e princípios da família e estimular a criança a praticar a autonomia. Porém não basta fornecer o dinheiro, é preciso orientar como os valores devem ser conquistados e gastos.

Sendo assim, os consultores Ana Paula Hornos, autora do livro "Crise Financeira na Floresta" e da coleção didática "Educação Financeira e Valores" (editora FTD); Ana Paula Pregardier, autora do e-book "Finanças É Coisa de Criança", e Reinaldo Domingos, autor do livro "Mesada Não É só Dinheiro”, orientam como fazer esse papel de educador sem cometer erros comuns:

- Saiba estipular o valor da mesada
Especialistas orientam que crianças a partir de sete anos já podem receber mesada. Geralmente, já sabem ler, escrever, fazer contas e, principalmente, pedem para comprar coisas com mais frequência. Porém, é preciso acertar no valor. Dos sete aos dez, dar um real por ano de vida, a cada semana, é uma boa estratégia. A partir dos dez, é interessante apurar os gastos que o filho tem antes de estabelecer o valor, respeitando a realidade financeira da família. Dar dinheiro em excesso desenvolverá no seu filho uma noção de que o dinheiro vem fácil, gastará sem critério. No entanto, se der muito pouco ele poderá se ver desestimulado a poupar para poupar e desenvolver uma .

- É preciso estabelecer as responsabilidades
Os pais precisam estabelecer o que a criança vai comprar com o dinheiro que recebe e o que ainda ficará sob a responsabilidade deles. Tão importante quanto isso é manter, no dia a dia, o que foi combinado entre as partes.

- Dar dinheiro antes da data estabelecida é um erro
Ao pegarem o dinheiro na mão pela primeira vez, é natural que as crianças cometam erros e tomem decisões equivocadas. Mas é preciso deixar que aprendam com as consequências de seus atos para que, em uma próxima vez, façam escolhas diferentes. Os especialistas reforçam que, ainda que a criança tenha de passar por um aperto momentâneo, os pais precisam resistir à tentação de cobrir o que ficou faltando.

- Não se pode confundir mesada com presente ou salário
Crianças não precisam receber mesada, mas podem se beneficiar desse recurso para aprender a lidar com o dinheiro desde cedo. Porém, a concessão da mesada não inviabiliza a entrega de presentes à criança, em ocasiões especiais, para comemorar ou reconhecer uma conquista ou trabalho bem feito.

- Pais não devem decidir pela criança como gastar o dinheiro
Um dos principais objetivos da mesada é auxiliar no desenvolvimento da autonomia. Por isso os pais não devem direcionar a criança, o tempo todo, em relação à utilização do próprio dinheiro. Os pais podem conversar a respeito, tirar dúvidas ou orientar quando ela pede apoio, mas é interessante estimular a criança a poupar parte da mesada e também a doar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário