.

.

24 de agosto de 2016

Poços operados pela Compesa na RMR serão automatizados

A Companhia Pernambucana de Saneamento – Compesa está implantando projetos para automação de 87 poços localizados na Região Metropolitana do Recife e no município de Goiana, na Zona da Mata Norte do estado. Com a iniciativa, a companhia busca aumentar a continuidade no abastecimento de água para a população, obter maior controle da qualidade da água e aumentar a conservação do manancial subterrâneo.

Até o final deste ano, a Compesa concluirá a automatização de 16 poços localizados na Zona Leste do Recife. Esta ação está inserida em um projeto mais amplo, em andamento, que prevê a automação de 80 unidades operacionais, entre estações elevatórias, reservatórios e os próprios poços. Este projeto está orçado em R$ 12 milhões e está sendo financiado com recursos da Caixa Econômica Federal.

Um segundo projeto, que também está em andamento, envolve a automação de 71 poços dos municípios de Olinda, Paulista e Goiana, além de outras unidades operacionais pertencentes ao Sistema de Abastecimento de Água (SAA) da cidade de Goiana que também inclui os sistemas que abastecem o Polo Automotivo da Fiat e o Polo Farmacoquímico.

Segundo o diretor Técnico e de Engenharia, Rômulo Aurélio Souza, os poços de Olinda, Paulista e o SAA Goiana, juntos, respondem pela vazão de 1,120 mil litros de água por segundo e atendem uma população de 412 mil pessoas. Para a implantação deste projeto serão investidos R$ 9,5 milhões, financiados com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).



A automação dos poços consiste na aplicação de ferramentas para o seu controle operacional, considerando a utilização de equipamentos eletrônicos e softwares dedicados que auxiliam os profissionais envolvidos na operação na realização de suas atividades. O objetivo da Compesa é ganhar mais eficiência no controle operacional e na exploração dos poços, e, consequentemente, ter condições de proporcionar maior continuidade na distribuição de água para a população.

A implantação da tecnologia vai agregar outros benefícios para o sistema, como a redução dos gastos com energia elétrica, visto que haverá um controle mais preciso do funcionamento das bombas dos poços.

Além disso, possibilitará maior segurança, confiabilidade e facilidade na operação do sistema, já que o controle será realizado através de equipamentos eletrônicos e também serão acompanhados à distância pelos operadores do Centro de Controle Operacional – CCO, situado no prédio administrativo da Estação de Tratamento de Água – ETA Castelo Branco, em Jaboatão dos Guararapes. Adicionalmente, os recursos de automação aplicados irão gerar informações importantes sobre toda a operação dos poços, que serão armazenadas num banco de dados e utilizadas para análise e planejamento da operação.

Expansão - Com a aplicação da tecnologia nos primeiros 87 poços, a Compesa expande a automação para quase 50% dos 178 poços que existem em operação na Região Metropolitana do Recife e no município de Goiana.

Trata-se de uma das ações previstas no Programa de Automação da Compesa (PROAUT), que teve início no ano de 2007, e desde então já realizou, dentre outras, as automações: de 150 estações elevatórias ao longo do estado de Pernambuco; dos sistemas produtores estratégicos da RMR (Pirapama, Tapacurá e Suape); do Sistema Adutor do Oeste (no Sertão), dos Sistemas Jucazinho e Integrados de Belo Jardim (no Agreste).

Nenhum comentário:

Postar um comentário