.

.

19 de agosto de 2016

Prefeito do Paulista volta a Brasília para destravar recursos do Ministério da Integração Nacional

Paulista amarga uma realidade econômica bem dura de administrar. Com a arrecadação municipal comprometida em torno de 88%, com os repasses obrigatórios para saúde, 15% e para educação 25%, além da folha de pagamento, que puxa uma fatia significativa em torno de 48%, a ginástica é grande para conseguir tocar obras estruturadoras. Isso tudo, devido ao fato de que o restante do erário público tem de ser compartilhado com os demais obrigações da gestão municipal, sem poder desconsiderar principalmente os gastos com a limpeza e manutenção da cidade, garantindo assim o sono de qualquer chefe do executivo municipal.


Diante desta situação, só resta ao prefeito Junior Matuto correr atrás de parcerias para tocar as obras estruturadoras que estão acontecendo no município. Um dos exemplos é a dragagem do Rio Paratibe, obra viabilizada graças aos R$ 26 milhões oriundos de um convênio firmado com o Governo Federal, por meio do Ministério da Integração Nacional (MI).
A obra está desacelerada pela suspensão do repasse dos valores do convênio. Para destravar a liberação financeira, o prefeito embarcou nesta quarta-feira (17), no primeiro voo do dia, com destino a Brasília e numa das muitas viagens do tipo “bate-volta” à Capital Federal. Na ocasião, o gestor encontrou com Hélder Barbalho, titular do MI, e conseguiu assegurar o compromisso do ministro em definir um novo cronograma de repasse dos recursos que estão pendentes.

Convênios Paulista-MI

O Prefeito Junior Matuto e o ex-ministro Gilberto Occhi assinaram ordem de serviço no valor de R$ 26 milhões para as obras da primeira etapa do desassoreamento do rio Paratibe. O trabalho começou a ser executado em duas frentes: da Avenida Palmares (Banheiro do Soldado) até a PE-15 e da mesma via até a BR-101. 

O projeto também prevê a construção de duas pontes na localidade conhecida como Banheiro do Soldado, que já iniciou a construção e a ponte da Comunidade do Barão. “Estamos tocando a obra de acordo com a liberação da verba, prevista num cronograma de desembolso, conforme pactuado com o ministério. Porém, com esta crise financeira, adotamos a estratégia de acelerar a obra neste trecho da ponte do Banheiro do Soldado, para ganhar tempo. Só que houve atraso no repasse de recursos do Governo Federal”, declarou Junior.

Por meio dos convênios celebrados com o MI, a gestão tem garantido a execução de outras obras no município, algumas, inclusive, já concluídas, como a canalização dos córregos da Avenida "F", em Maranguape II, e da Rua Araxá, na Conceição, além do revestimento do Canal das Tintas, no Centro da cidade, o trabalho de dragagem do canal Sítio do Jorge, em Maranguape I e o desassoreamento do Rio Limoeiro, no bairro do Janga, que já está autorizado. O investimento global dessa parceria é de R$ 68 milhões.

Além das ações de macrodrenagem em Paulista, o Ministério da Integração Nacional também liberou recursos para a execução de outras obras importantes como a contenção do avanço do mar nas praias do Janga e Pau Amarelo. O convênio celebrado com a prefeitura assegurou uma verba de R$ 28 milhões para o município. O trabalho nas praias já foi concluído

Nenhum comentário:

Postar um comentário