.

.

22 de outubro de 2016

Saúde do Paulista realiza entrada forçada em imóveis com possíveis focos do Aedes aegypti

Agentes do Departamento de Vigilância Ambiental do Paulista realizaram na manhã desta sexta-feira (21.10) uma ação para eliminar focos do Aedes aegypti em imóveis fechados. Respaldados pela Lei Municipal 4.589/2016, que garante o ingresso forçado nos imóveis públicos e particulares, no caso de situação de recusa ou de ausência de pessoa que possa permitir o acesso do agente público, os profissionais da Secretaria de Saúde visitaram duas residências localizadas nos bairros do Janga e Pau Amarelo.

A medida foi adotada porque os agentes não puderam ter acesso aos imóveis. Os proprietários tinham sido notificados e receberam um prazo de até 10 dias para procurar o órgão fiscalizador e não cumpriram o prazo determinado. As duas residências apresentaram ambiente favorável à proliferação de vetores de doenças, com acúmulo de mato e lixo, que foram devidamente tratados e recolhidos. Além disso, a equipe realizou a aplicação de inseticida e raticida. No entanto, não foram encontrados focos do Aedes aegypti.

O superintendente de Vigilância em Saúde do Paulista, Fábio Diogo, explicou como é realizado o trabalho que antecede o acesso forçado. “Nós chegamos a fazer três visitas ao mesmo imóvel. Na primeira, nós identificamos o possível foco, depois voltamos ao local na tentativa de encontrar o proprietário e se não localizarmos, notificamos e damos um prazo de 10 dias para que o proprietário agende uma data em que o agente possa entrar no imóvel”, disse.

Tâmara Gomes, 57, técnica de enfermagem, vizinha de um dos imóveis visitados, elogiou a iniciativa. “Este imóvel está causando muito transtorno pra nós moradores, tanto na questão de doenças, quanto de segurança. Torço para que esta não seja uma ação única, afinal, é importante ter um acompanhamento, é nesses momentos que a gente conta com apoio da prefeitura”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário