.

.

14 de outubro de 2016

Unidade de ensino do Paulista incentiva a participação dos pais na rotina escolar dos filhos para resgatar valor da educação na família

O envolvimento dos pais com a rotina escolar dos filhos está transformando uma unidade de ensino localizada no bairro de Paratibe, em Paulista. Na Escola Municipal Gêlda Amorim, a parceria entre a direção do colégio e os responsáveis pelos estudantes tem resgatado o valor da educação na família. O resultado dessa iniciativa está ajudando a tornar o ambiente escolar cada vez mais humano e atrativo.


Tudo começou há um ano e seis meses, quando a professora Edenilza de Souza Cabral, 43 anos, recebeu o convite para assumir a gestão da escola. Lecionando na unidade há quase nove anos, ela aceitou a “convocação” e começou a colocar em prática a metodologia de aproximar os pais dos alunos do dia a dia da escola. Além de realizar reuniões periódicas, onde são discutidos diversos temas, ela mobiliza a família dos estudantes para participar de discussões sobre o processo de formação do ser humano para o mundo. 

“A presença dos pais no ambiente escolar é muito importante porque ajuda a gestão a impor limites. Quando os responsáveis se envolvem com as atividades da escola, os estudantes se comportam de forma diferente. Aqui no Gêlda Amorim nós podemos dizer que 90% dos pais participam do dia a dia da unidade de ensino. E essa parceria é fundamental”, comemorou Edenilza de Souza.

Apesar de parecer alto, o percentual citado pela diretora condiz com o nível de engajamento das pessoas da comunidade na rotina da escola. A vendedora Alcione Guedes, 38 anos, mora em Paratibe há três décadas, e tem a unidade de ensino como extensão de casa. “Todos os meus filhos já estudaram no Gêlda Amorim. Dois já saíram por conta da idade, mas um ainda estuda. Eu sempre faço questão de ser presente para saber como está meu filho, Rian Andrade Lopes, 14 anos”, frisou.

O autônomo Jaílson Herculano de Andrade, 35 anos, é pai do adolescente João Victor Tavares de Andrade, 11 anos. Ele é considerado quase um “funcionário” da escola por conta do trabalho que faz em prol da garotada. “Faço questão de ajudar a direção do Gêlda Amorim na manutenção do prédio. Tenho orgulho de poder cuidar dessa escola não só por conta do meu filho que estuda aqui há três anos, mas aos demais meninos e meninas. Acho que esse é o papel da gente mesmo”, comentou.

Com quatro filhos matriculados na escola, a dona de casa Erika Presciliana, 41 anos, comenta que se sente segura quando a garotada está estudando. “A direção da escola está atenta a tudo que acontece com os alunos, desde o horário que eles chegam até o momento da saída pra casa. Isso nos deixa despreocupadas. Aqui a gente vê a coisas funcionarem porque há uma preocupação real com os nossos filhos”, elogiou.

INDISCIPLINA – Apesar de ter um bom relacionamento com o alunado, a direção da Escola Gelda Amorim já registrou alguns casos de indisciplina. No entanto, graças ao trabalho de conscientização nas turmas e o envolvimento dos pais nas atividades, esses episódios estão cada vez mais raros na escola.

“O primeiro passo para resolver algum caso dessa natureza é dialogar com o aluno para tentar descobrir o que, normalmente, está provocando a falta de interesse pelos estudos. Depois convocamos os pais para falar sobre a situação. Quando os responsáveis não aparecem na escola, acionamos o Conselho Tutelar, que faz uma visita à família para aproximar os pais da escola”, revelou Edenilza de Souza.

Acompanhada do marido, a supervisora Irisneide Bernado da Silva, 36 anos, está costuma a levar a filha Emelly Nalanda da Silva, 13 anos, na escola. Ela já participou de uma reunião com os conselheiros tutelares. “A turma em que minha filha estuda estava muito indisciplinada. Foi quando a gestão precisou fazer um encontro com os pais para poder falar sobre essa situação. O pior é muitos deles não se preocupam com o dia a dia dos filhos e na hora da reunião insistem e dizer que a garotada não fazem nada”, desabafou.

IDEB – Principal indicador de qualidade do ensino público, o Índice Nacional da Educação Básica mostrou que o trabalho que vem sendo feito na Escola Gêlda Amorim está no caminho certo. No último levantamento, a unidade de ensino superou as metas projetadas pelo Ministério da Educação, ficando em segundo lugar entre todas as escolas da rede municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário