.

.

Cinesytem

29 de dezembro de 2016

Lei Seca intensifica bloqueios no fim de ano


A Operação Lei Seca (OLS) em Pernambuco vem intensificando, neste final de ano, as ações de bloqueio em rodovias federais, estaduais e vias de todo o Estado. Motoristas e condutores devem ficar atentos às blitze durante o período. Pontos serão reforçados e os bloqueios, das equipes que atuam diariamente em Pernambuco, estarão montados nas principais vias.

Para reforçar a fiscalização, as atuações serão feitas em parceria com o Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Pernambuco (DER-PE), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv) e guardas municipais. “Com esse apoio, nós aumentamos o número de agentes nas blitze, conseguindo um maior número de abordagens aos condutores. Também estamos diversificando os horários de atuação, com base nas estatísticas de acidentes e confraternizações. E é importante contar com o apoio e conscientização da população. Bebida e direção não combinam”, ressalta o coordenador da Operação Lei Seca, Luciano Nunes. Entre o roteiro, estão as cidades da Região Metropolitana do Recife, Palmares, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde e Petrolina, além das praias do litoral norte e sul.

OLS - A Operação Lei Seca é uma campanha educativa e de fiscalização, de caráter permanente, que abrange todo o Estado de Pernambuco, lançada em dezembro de 2011. Desde então, mais de 1,7 milhão de motoristas foram abordados, 148 mil foram multados, 20 mil veículos foram rebocados e 36 mil motoristas tiveram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) recolhida. Os agentes realizaram 1,7 milhão de testes com o etilômetro. Desse total, 32 mil condutores sofreram sanções administrativas e 1,5 mil criminais, por alcoolemia.

As ações são constantes, durante todos os dias, em diversos horários, com pontos simultâneos de fiscalização. As ações da OLS têm o objetivo de reforçar a segurança no trânsito e inibir a associação de álcool e direção pelos motoristas e motociclistas. O trabalho envolve cerca de 210 profissionais da Secretaria Estadual de Saúde, Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) e Polícia Militar de Pernambuco (PMPE).

EPIDEMIA - Atualmente, a epidemia de acidentes de trânsito, principalmente envolvendo motos, é o principal problema de saúde pública no Brasil. Em Pernambuco, por ano, são gastos cerca de R$ 1 bilhão com os acidentados de moto, quantitativo utilizado na saúde, previdência e outras áreas. No setor de saúde, esse tipo de paciente tem impacto na lotação dos leitos de enfermaria e de UTI, nas cirurgias eletivas, que precisam ser canceladas para que haja os atendimentos de urgência; e na reabilitação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário