.

.

Cinesytem

10 de dezembro de 2016

Segurança da RMR já conta com 1,5 mil militares das Forças Armadas

Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco
Até a tarde deste domingo, Pernambuco terá os 3,5 mil militares. Operação Leão do Norte acontece até o próximo dia 19


A Operação Leão do Norte, comandada pelo general de Brigada Francisco Humberto Montenegro Junior, já conta com mais de 1,5 mil militares das Forças Armadas atuando na Região Metropolitana do Recife. O objetivo é que eles atuem na Garantia da Lei e da Ordem. A operação começou às 18h dessa sexta-feira (9) após pedido do governador do Estado, Paulo Câmara, ante à possibilidade de greve dos bombeiros e policiais militares. A previsão é que a operação termine no próximo dia 19.

Segundo o general Montenegro, a tropa que ele comanda atuará em duas fases. "Ontem (sexta) à noite, já lançamos um efetivo de 400 militares no patrulhamento da RMR. Até o fim da tarde de hoje, serão 1.540 militares atuando. Na segunda fase, que será concretizada até o final da tarde de amanhã (domingo), concluiremos o emprego de 3,5 mil militares na Área Metropolitana", comentou. 

Ainda segundo o general, o objetivo é proporcionar a segurança esperada para a sociedade pernambucana. Estão sendo enviadas tropas do Exército da Paraíba, Piauí, Alagoas, Sergipe, Bahia e Rio Grande do Norte. A operação também conta com militares da Marinha e Aeronáutica. A Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil continuam atuando, mas subordinadas ao Comando Militar do Exército. As Forças Armadas poderão revistar, autuar em flagrante e fazer o patrulhamento intensivo.

Segundo o secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia, a Região Metropolitana do Recife foi escolhida porque o Governo do Estado entendeu que esta é a área mais crítica e que gera mais preocupação. O secretário também comentou sobre a assembleia realizada pelos policiais e bombeiros militares e disse que o ato é ilegal "Eles sabem que a greve é ilegal. Então, o que decidiram ontem foi óbvio e evitaram um embate desnecessário", comentou.

Ainda segundo Gioia, as prisões durante a assembleia foram em flagrante por prática de crime militar. Uma audiência de custódia será realizada nesta tarde, no plantão do Tribunal de Justiça de Pernambuco.

Da Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário