.

.

Quinta do Beijo na Cinesytem

Quinta do Beijo na Cinesytem

27 de janeiro de 2017

Paulista adota técnica milenar chinesa para auxiliar tratamento de pacientes com problemas físicos e psíquicos

Uma técnica milenar chinesa está sendo introduzida na rede municipal de saúde para auxiliar no tratamento de pacientes que sofrem com dores pelo corpo; distúrbios hormonais; doenças no pulmão, coração, intestino; e problemas emocionais, como ansiedade, insônia e transtorno compulsivo alimentar. A auriculoterapia é um procedimento da medicina complementar que serve para tratar diversos tipos de sintomas pelo corpo, através de pontos situados na orelha. A iniciativa, pioneira na cidade, começou a ser disseminada nos postos de saúde por equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

Nesta quinta-feira (26.01), os pacientes da USF Edgar Alves, no Engenho Maranguape, conheceram um pouco mais sobre a técnica chinesa. A educadora física do Nasf, Luciana Albuquerque, que desenvolve a iniciativa nas unidades do Território 4 (área das praias), conduziu uma apresentação didática. Além de beneficiar os pacientes, ela tem aplicado à auriculoterapia junto aos profissionais da rede. “A ideia é que a técnica se torne uma grande aliada contra as dores, fadiga muscular e estafa. Esses sintomas, muitas vezes, atrapalham o desempenho dos profissionais no dia a dia”, frisou Luciana.

O tratamento da auriculoterapia consiste na aplicação de adesivos com sementes de mostarda, cristais ou esferas em pontos específicos da orelha que são associados ao funcionamento dos órgãos. A região do pavilhão auricular definida estimula o Sistema Nervoso Central que reage de forma reflexa, garantindo harmonia no organismo. O tratamento não tem contraindicação, podendo ser feito por qualquer pessoa, desde que não abandone o tratamento convencional da doença.

A família da aposentada Maria Tereza dos Santos, 72 anos, descobriu na auriculoterapia uma alternativa eficaz para as dores pelo corpo. A técnica chinesa ajudou a aliviar o sofrimento da filha, Maria dos Santos, e da neta, Nathália Anne de Oliveira. Todas estão fazendo tratamento na USF Edgar Alves. “Sempre tive muitas dores nos braços, mas depois que comecei a fazer auriculoterapia minha situação mudou. Minha família também está fazendo a terapia. Indico pra esse tratamento pra todo mundo”, comentou a moradora do Engenho Maranguape há mais de três décadas.

JANEIRO BRANCO – A ação desta quinta-feira (26.01), na USF Edgar Alves, fez parte da programação do mês dedicado à saúde mental. Na ocasião, os pacientes da unidade também conheceram o poder dos chás na ajuda ao Sistema Nervoso Central e sobre como evitar a automedicação. As funcionárias do Nasf, Flávia Layme (fonoaudióloga) e Mônica Soares (psicóloga), fizeram palestras sobre os temas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário