.

.

Cinesytem

21 de fevereiro de 2017

Secretaria Estadual de Habitação fortalece comitê para monitoramento do Projeto Via Metropolitana Norte

O secretário de Habitação de Pernambuco, Bruno Lisboa, comandou, nesta segunda-feira (20.02), em Olinda, a terceira reunião do grupo de trabalho do projeto Via Metropolitana Norte, maior obra de mobilidade e drenagem em construção na Região Metropolitana. Esses encontros têm o objetivo de definir ações de monitoramento e acompanhamento da execução do projeto, que prevê o alargamento e revestimento do Canal do Fragoso, além da construção de pontes, implantação e pavimentação de vias.


“A partir dessas reuniões, estamos encontrando soluções em conjunto para dar celeridade à obra, que é uma prioridade para toda a região Norte do Estado”, disse o secretário. O auxiliar do governador Paulo Câmara reiterou ainda que o diálogo é a melhor solução e essa iniciativa de reunir os atores envolvidos no projeto vem gerando resultados positivos. “Sabemos que grandes projetos voltados para a mobilidade e urbanização podem trazem algum tipo de transtorno durante a sua execução. E esse trabalho em conjunto de monitoramento e encaminhamento das ações auxilia na solução efetiva dos entraves”, pontuou Bruno. 

Além de representantes da SecHab e da Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab), participam das reuniões integrantes da Prefeitura de Olinda, Ministério Público (MPPE), Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE), Compesa, Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE), Ministério das Cidades, Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Compesa, Secretaria de Planejamento de Pernambuco.

Via Metropolitana Norte (VMN) – Avaliada em R$ 336 milhões - recursos do Governo de Pernambuco e da União - a obra compreende a construção de 12 pontes sobre o Canal do Fragoso e um viaduto sobre a PE-15. Além disso, está em andamento o alargamento e revestimento de 4,5 quilômetros do Canal e a implantação de 6,1 quilômetros de vias nos municípios de Olinda e Paulista. Também estão previstos no projeto a implantação de vias, que minimizará os transtornos causados pelos alagamentos na região, e a construção de 840 unidades habitacionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário