.

.

30 de março de 2017

Em defesa do meio ambiente alunos do Paulista realizam abraço coletivo em árvore tombada

Usando roupas e adereços com desenhos em formatos de plantas, árvores e flores, alunos da Escola Irmã Assunta coloriram as ruas da Avenida Rui Barbosa, em Maria Farinha, na tarde desta quinta-feira (30.03). A caminhada, que teve o intuito de alertar à população sobre a preservação do meio ambiente e o cuidado com as árvores, também sensibilizou os moradores sobre os prejuízos causados pelo desmatamento. Outro momento importante que preencheu a iniciativa foi à homenagem realizada pelos estudantes ao tombamento de uma árvore da espécie Angelim, realizada no dia 03 de setembro de 2015. Ao redor da árvore os alunos cantaram, dançaram e deram um abraço coletivo.

De acordo com a psicopedagoga da rede municipal, Elisângela Torres, as crianças já vinham aprendendo sobre o Pé de Angelim e estavam ansiosas para verem a árvore de perto. “Eles já vêem pesquisando sobre a espécie há algum tempo. Confeccionaram cartazes, faixas e estão bastante animados. Durante o percurso vamos mostrar também para os moradores o quanto é importante preservamos nosso meio ambiente. Queremos também que todos vejam a saúde e paz que essa árvore traz para a comunidade”, ressaltou. 

“Recebemos uma solicitação dos moradores para que fosse verificado se a árvore tinha risco de queda, alguma infestação por cupins, ou outros problemas relacionados á sanidade dela. Depois de todo o trabalho de limpeza e recuperação da planta encaminhamos um decreto ao prefeito Junior Matuto onde ficou estabelecido que ela estava imune ao corte”, explicou o diretor da Secretaria de Meio Ambiente do paulista, Murilo Chagas. 

O presidente da Câmara dos Vereadores do município, Fábio Barros, que na época era vereador e ajudou na luta contra o corte da árvore, revelou que as pessoas que moram no local sempre tiveram uma relação de afeto, referência e convivência com a planta. “Foi uma conquista muito grande para nós, pois essa foi à primeira árvore tombada na cidade do Paulista. Outras árvores também já receberam essa imunidade, mas por decreto estadual e não municipal. Portanto isso é um estímulo para que em outros locais as pessoas possam procurar o poder público e pedir para que haja essa proibição de derrubada”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário