.

.

5 de maio de 2017

MUDAS DA MATA ATLÂNTICA SIMBOLIZAM VIDA ÀS VÍTIMAS DA VIOLÊNCIA NO TURURU

Foto/Coletivo Tururu
Quarenta jovens exterminados no Tururu, na cidade do Paulista, foram homenageados durante o ato ‘uma planta a cada vida’ por 40 mudas da Mata Atlântica: pau-brasil, ipê e outras, plantadas em um terreno ocioso abandonado com lixo urbano na margem da mata do bairro. Promovido pela campanha ‘Eu não quero ser o próximo’, o Coletivo Tururu recolheu os nomes das vítimas, pesquisadas com o apoio da comunidade. No ato não foi levado em conta a temporalidade. Casos ocorridos há cinco anos também foram citados.

O Coletivo é formado por moradores do Tururu, desde 2007, que buscam uma cultura de paz no local. Um dos integrantes, o pedagogo André Fidélis, participa do movimento e plantou uma muda para simbolizar a vida. Crianças da creche escola Nossa Senhora do Ó e da Casa Herbet de Souza; alunos da escola José Manoel de Queiroz também participaram do ato.

Representantes da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura do Paulista e do vereador Fábio Barros (PSB) estiveram presentes. O vereador, que é especialista em Violência Doméstica pela Universidade de São Paulo (USP), participará como debatedor de uma audiência pública sobre os caminhos da comunidade sem violência. 

A audiência será realizada pelo Coletivo Tururu e Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco (Alepe), presidida pelo deputado estadual Edilson Silva (Psol), na quadra poliesportiva do bairro, às 9h, no próximo dia 24 de maio. 

Programação

20 de maio
Exposição de Fotografia dos alunos da oficina de fotografia do Coletivo Tururu
18h | Associação dos Moradores do Tururu

24 de maio
Audiência pública do Coletivo: Os caminhos da comunidade sem violência
9h | Quadra poliesportiva do Tururu 

Nenhum comentário:

Postar um comentário