.

.

3 de junho de 2017

Criação do Bope em Pernambuco está pronta para se tornar lei

Na reunião plenária dessa quinta, foi aprovada a redação final da proposta que cria o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) em Pernambuco. De autoria do Poder Executivo, a matéria foi criticada pelos oposicionistas durante os debates nas reuniões das Comissões Técnicas. Na avaliação do líder da Oposição, deputado Sílvio Costa Filho, do PRB, a medida não resolverá o problema da segurança pública no Estado. O projeto agora segue para sanção ou veto do governador Paulo Câmara. Caso se torne lei, o texto cria um efetivo de 164 profissionais do Bope pernambucano com gratificações entre R$ 2,5 mil e R$ 3,6 mil. Os recursos para a remuneração devem vir da redução do número de cotas do Programa Jornada Extra de Segurança.

Também foi aprovada em Plenário a redação final da proposição que institui 6 de março como Data Magna do Estado. Foi nesse dia que a Revolução de 1817 foi deflagrada e uma república independente da Coroa Portuguesa se instalou em território pernambucano. Se for sancionada pelo governador, haverá feriado civil com ponto facultativo no âmbito estadual. O projeto é de autoria dos deputados Isaltino Nascimento, do PSB, e Terezinha Nunes, do PSDB.

O Plenário aprovou, ainda, a redação final de outras proposições, entre elas a que regulamenta os benefícios concedidos pelo Programa Chapéu de Palha a famílias e agricultores pernambucanos durante os meses de entressafra dos produtos cultivados. A matéria também segue para análise do Governo do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário