.

.

27 de julho de 2017

Vigilância Sanitária do Paulista e Conselho Regional de Educação Física fiscalizam academias de ginástica

Uma ação de saúde pública foi deflagrada nesta quinta-feira (27.07), no município do Paulista, resultante de uma parceria entre a Vigilância Sanitária e o Conselho Regional de Educação Física (CREFI)-PE, para fiscalizar algumas academias de ginástica que já passaram por inspeção do Conselho e apresentaram irregularidades.


Em Jardim Paulista Baixo, na primeira academia visitada, que fica na Rua Sete, os fiscais constataram falta de profissional registrado para orientar os usuários nas atividades, além de instalações precárias como equipamentos enferrujados, espelhos quebrados, piso inadequado e paredes com infiltrações.

O estabelecimento também não possuía alvará de localização da Vigilância Sanitária e declaração de regularidade técnica expedida pelo Conselho Regional de Educação Física. A proprietária do imóvel foi notificada, e deve apresentar toda a documentação regularizada num prazo de até 15 dias na Vigilância Sanitária, e obter o registro da profissão junto ao CREFI em até 48 horas.

Já em outro estabelecimento, na Avenida Presidente Tancredo Neves, apesar da proprietária possuir registro profissional, um estagiário estava atuando como profissional, e não possuía termo de compromisso para exercer as atividades. O local apresentava problemas na estrutura física e falta de documentação de funcionamento. Foi expedido um termo de visita detalhando as irregularidades e a proprietária deve responder junto à comissão de ética do Conselho.

“As academias devem ter um profissional formado para exercer as atividades. A falta de uma orientação adequada traz danos à saúde que podem ser irreversíveis, causando uma má qualidade de vida. Precisamos da colaboração da população em denunciar esses locais que não oferecem um atendimento correto”, disse Marcelo Santos, agente de fiscalização do Conselho Regional de Educação Física.

De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde Fábio Diogo, a ação de fiscalização nos estabelecimentos será contínua. “O nosso objetivo é garantir os direitos fundamentais do ser humano e as academias de ginástica têm o dever de trabalharem garantindo a saúde e segurança do consumidor. Vamos acompanhar as academias notificadas. Se necessário iremos interditar os locais, caso os proprietários não realizem os ajustes necessários dentro do prazo estabelecido de até quinze dias.” Adiantou Fábio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário