.

.

25 de agosto de 2017

Compesa inicia testes em novo sistema para melhorar o abastecimento de Rio Doce e Jardim Atlântico

Bairros são os primeiros beneficiados com o projeto da Compesa que visa estabelecer o fornecimento de água contínuo, até 2021, para 250 mil pessoas em Olinda


A Compesa inicia na próxima segunda-feira (28), a fase de testes do novo sistema de abastecimento para a melhoria de distribuição de água dos bairros de Rio Doce e Jardim Atlântico, em Olinda, as primeiras áreas beneficiadas com o projeto Olinda+Água. O empreendimento está sendo executado pela companhia e visa estabelecer o fornecimento de água contínuo (todos os dias) para 250 mil pessoas em 15 bairros do município, dentro de cinco anos (até o ano de 2021). No entanto, as melhorias do abastecimento nesses dois bairros, onde foram assentados 30 quilômetros de novas tubulações, já serão sentidas pelos moradores logo após a finalização dos testes da operação do sistema. "Essa melhoria depende de um período de ajustes para o equilíbrio das pressões rede de distribuição. Tão logo isso ocorra, a população já sentirá os efeitos e, no mês de outubro, as melhorias serão ainda mais significativas", informa o gestor da obra, Bruno Eduardo Gonçalves.

Segundo ele, ainda há necessidades de outras intervenções no sistema, que serão realizadas a partir de janeiro de 2018, para possibilitar o abastecimento ininterrupto dos bairros de Rio Doce, Jardim Atlântico, parte de Casa Caiada e Jardim Fragoso e também de outras áreas da cidade. Hoje, essas localidades são atendidas pelo Sistema Botafogo e nove poços, com um regime de rodízio que varia de três a cinco dias sem água, dependendo da localidade. Na próxima semana, os testes na nova rede vão abranger os bairros de Jardim Atlântico e Rio Doce, nas 2ª,3ª,4ª e 5ª Etapas.

Já na 1ª Etapa de Rio Doce, parte de Casa Caiada e Jardim Fragoso os testes acontecerão posteriormente, em função das particularidades da rede de distribuição desta área. "Durante a fase de testes, iremos seguir esse mesmo calendário, podendo, eventualmente, ocorrer alguma irregularidade no período de fornecimento de água devido à complexidade e imprevistos inerentes à operação de um novo sistema", esclarece Bruno Eduardo. Ele lembra que, recentemente, durante as obras de interligação dos poços ao novo Centro de Reservação de Perijucã - com capacidade de armazenar 12 milhões de litros de água - em Jardim Atlântico, o abastecimento desses bairros foi comprometido para a realização das intervenções, ações essenciais para a melhoria da distribuição de água.



No mês de outubro, está previsto terminar a primeira etapa da obra, levando para 133 mil pessoas nos bairros de Rio Doce, Jardim Atlântico e parte de Casa Caiada e Jardim Fragoso, melhorias na distribuição de água, como o cumprimento dos horários divulgados no calendário, aumento das pressões e das horas de abastecimento de água. Ao todo, o Governo do Estado e Compesa investem R$ 134 milhões, recursos financiados pelo Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD). O projeto ainda prevê ações de setorização para implantar um sistema de controle e medição da rede, por meio da instalação de macromedidores, válvulas redutoras de pressão, sensores de monitoramento das pressões ao longo da rede e ainda monitoramento remoto.



Também a partir de outubro, a Compesa começa as obras em Ouro Preto, Jatobá, Bairro Novo, Bultrins e no restante de Casa Caiada e Jardim Fragoso. No próximo ano, no mês de abril, o Olinda+Água vai iniciar as intervenções nos bairros do Carmo, Varadouro, Guadalupe, Santa Tereza, Amaro Branco, Bonsucesso e Monte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário