.

.

2 de agosto de 2017

Prefeitura do Paulista e Lafepe entregam mais 31 óculos aos alunos da rede municipal de ensino

Gabriel Barros, um garoto de 11 anos, é aluno da Academia Cássia Caroline, em Maranguape I, Paulista. Gabriel é autista e se queixava muito da dificuldade em enxergar direito. “Via tudo com uma moldura e embaçado. Isso dificultava muito quando tinha que estudar. Ai fiz os exames e ganhei meus óculos. Tudo melhorou, parece que deu um zoom em tudo, estou vendo melhor e aprendendo mais, hoje vou mudar de óculos”, disse Gabriel, que é um dos 470 alunos beneficiados pelo Programa Olhar Paulista, uma iniciativa da Prefeitura, através de uma ação integrada entre as Secretarias de Educação e Saúde do município, em parceria com o Lafepe.

Como Gabriel, Emanuel Edson dos Santos, 10 anos, estava com um comprometimento maior, por conta do glaucoma, já perdeu 80% da visão de um olho e 20% em outro. Não sabia ler até os oito anos de idade. Em dois anos usando os óculos, já se destaca em sala de aula como o melhor aluno do 4º ano da Academia Cassia Caroline. “Eu estava muito triste porque meus amigos conseguiam ler e eu não. Hoje, leio bem e sou o melhor em matemática” comemorou Emanuel, que escolheu uma armação preta, bem séria para sua pouca idade.

O Programa Olhar Paulista, criado na primeira gestão Junior Matuto, foi premiado em Julho deste ano, no XXXIII Congresso Nacional dos Secretários Municipais de Saúde como iniciativa governamental exitosa. Olhar Paulista é interligado ao Programa Saúde nas Escolas, do Governo Federal. Mas em Paulista a iniciativa não fica só nos exames. Graças a uma parceria com o Laboratório Farmacêutico de Pernambuco (Lafepe) – além do diagnóstico –, o programa distribui óculos e faz o acompanhamento dos alunos.

O secretário de Educação, Carlos Junior, avalia que é mais um cuidado da gestão Junior Matuto para potencializar o rendimento dos alunos no aprendizado. “A família dificilmente percebe que o filho tem dificuldade de visão. Esta dificuldade fica mais visível na escola, porque o rebatimento é direto no aprendizado. Então, o prefeito Junior Matuto implantou esta politica de governo, que é uma ação integrada entre Educação e Saúde, para melhorar o aprendizado dos alunos. Essa ação é completa porque vai além do diagnóstico e, em pouco tempo, é possível constatar a melhoria do desempenho dos alunos” avaliou Carlos Junior.

A dificuldade de visão provoca uma evasão escolar significativa e o programa visa evitar esta situação, acompanhando exatamente as crianças dos primeiros momentos de aprendizado, que são os alunos de 06 a 12 anos. Segundo a secretária de Saúde Fabiana Bernart, o programa é de excelência porque o acompanhamento dos beneficiados continua durante toda a vida escolar. “As crianças são reavaliadas anualmente, e a tendência é que se estabilize o número de óculos e o programa consiga cobrir todos os alunos da rede de ensino, trazendo benefícios para os estudantes, com qualidade no aprendizado e, tudo isso, com um custo baixo”, salientou.

Durante a entrega dos óculos, o prefeito Junior Matuto lembrou que quando era criança não conseguia se concentrar nos estudos porque tinha dificuldade de baixa visão e não sabia. Ele considera este programa um dos mais importantes de sua gestão. “Eu sei exatamente o que vocês passavam até hoje em sala de aula. Às vezes, por uma dificuldade que não é constatada, a criança é mal interpretada pelos professores e pela família. Por isso, que este programa hoje é Lei. Deixou de ser uma ação de governo para ser uma ação do município. Ao ouvir a história destas crianças, mostramos que com programas como este, nós estamos indo no caminho certo de chegar perto de quem mais precisa”, finalizou Junior.

O Olhar Paulista, criado em 2015, já beneficiou 9.500 alunos da rede municipal de ensino com triagem e exames. Dentro deste universo, já entregou 450 óculos. Nesta quarta-feira, 03.08, mais 31 alunos receberam os novos óculos na Escola Carlos Alves, em Maranguape I.

Nenhum comentário:

Postar um comentário