.

.

6 de fevereiro de 2018

Denunciando à violência contra a mulher, Bloco “Xingou... Bateu... É PENHA” desfila pela primeira vez no Centro do Paulista

Em clima de emoção e alegria, o Bloco “Xingou... Bateu... É PENHA!” tomou conta às ruas do Centro do Paulista na tarde desta terça-feira (06.02). A agremiação, que foi criada pela Secretaria Executiva de Politicas para as Mulheres do Paulista, desfilou pela primeira vez de forma divertida, conscientizando a população sobre a importância do enfretamento à violência contra a mulher. O bloco de Mulheres Anárquico Legalistas foi embalado com sua própria marchinha de Carnaval com o refrão bem animador: “Não tem desculpa, meu bem. Não tem resenha. Eu aprendi. Xingou...bateu...é Penha!”.

Ao som de uma orquestra de frevo, a animação tomou conta da principal via do Centro da cidade, a Rua Siqueira Campos. Além do desfile com muita alegria e descontração, as foliãs aproveitaram o momento para distribuir panfletos informativos, abordando o público a respeito dos direitos e os serviços oferecidos para o enfrentamento à violência. Afinal, com mostra as estatísticas, no período carnavalesco, o número de episódios de violência contra o público feminino cresce significativamente.

Maria Emília Mesquita, 19 anos, moradora do Recife, ficou sabendo do bloco e estava entusiasmada em poder participar. “Acho muito importante esse incentivo e ainda mais criar um bloco para mostrar à população a importância que as mulheres têm. E também poder lutar e crescer pelo seu direito”, comentou.

Jureni Lins, que preside a Associação dos Artesãos do Paulista, também estava muito animada em participar da folia. “Estou feliz de estar participando desse bloco. Paulista está de parabéns juntamente com a secretaria da Mulher de estarem abrindo esse espaço na semana pré-carnavalesca de com bastante animação para nós mulheres”, citou.

A secretária-executiva de Politicas para as Mulheres, Bianca Pinho Alves, comentou sobre o bloco que desfilou pela primeira vez no Carnaval 2018. “É com muita emoção e alegria que estamos aqui cantando o nosso refrão, ‘Não tem desculpa, meu bem. Não tem resenha. Eu aprendi. Xingou...bateu...é Penha!’. É com essa mensagem que a gente vem pra avenida, conscientizando as mulheres e quem brinca o Carnaval pra mostrar que o assédio não é legal. E acabar com essa cultura de permissividade e de querer que a mulher seja objeto”, declarou.

A iniciativa contou com o envolvimento de todas as secretarias municipais. O maestro Leonildo Fausto de Araújo, um dos homenageados do Carnaval do Paulista em 2018, também marcou presença na folia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário