.

.

3 de fevereiro de 2018

Resgatando a tradição dos antigos carnavais, Bloco do Comércio “rasga” o frevo no Centro do Paulista

Marca registrada do Carnaval de Pernambuco, o frevo tomou conta do Centro do Paulista, nesta sexta-feira (02.02), e não deixou ninguém parado durante o 23º desfile do Bloco do Comércio. Quem marcou presença na festa, que abre o período de Momo do município, teve a oportunidade de prestigiar os homenageados da folia, curtindo o melhor do ritmo nos shows com a Orquestra do Maestro Leonildo Araújo, e o cantor, compositor e produtor cultural Carlinhos Kaetés. A banda Patusco – última atração da noite – encerrou a animação em grande estilo, fazendo o público sair do chão. A Praça João Pessoa ficou lotada. 


Antes dos artistas subirem ao palco, o público aproveitou outras atrações. A primeira delas foi o grupo de dança Maria Vicência, de Abreu e Lima, na Região Metropolitana. Formado por 13 passistas de frevo, ele encantou o público, especialmente, as crianças pela harmonia dos movimentos e pelo colorido das sobrinhas. Em seguida entrou em cena o bloco lírico Sempre Feliz. Com fantasias elegantes e nos tons de azul e branco, a agremiação relembrou o clima dos antigos carnavais. E ainda teve o Bloco Papaguarte, mostrando aos foliões paulistenses um pouco da folia carnavalesca de Bezerros, no Agreste.

Acompanhado da filha pequena, o paulistense Sílvio Negreiros parabenizou pela organização e fez questão de enaltecer o clima familiar existente no bloco. “Achei tudo muito bacana esse ano, tanto as atrações como a segurança. Isso é muito bom pra gente que gosta de brincar com os nossos familiares”, disse. Ele não foi o único que gostou. “Estou muito orgulhoso com o Carnaval da minha cidade. E o bloco do Comércio está cada vez melhor”, frisou o comerciante Djalma Marcelino. 

O Bloco do Comércio foi fundado em 1995. Naquela época, os organizadores da festa pretendiam reunir os funcionários dos estabelecimentos comerciais do Centro para uma sadia brincadeira de Carnaval. Hoje, mais de duas décadas depois, eles conseguiram ir além: criaram um ambiente alegre e de confraternização. Quem marca presença pela primeira vez no bloco não deixa mais de participar. Na visão do vice-prefeito do município, Jorge Carreiro, esse é o grande diferencial do bloco.

“Eu tenho muito orgulho de dizer que participo dessa animação desde o primeiro dia. Nesses 23 anos, o bloco cresceu bastante, mas não perdeu a sua essência: continua sendo uma festa feita para o povo. E como o nosso Carnaval é reconhecido mundialmente por essa tradição, tenho certeza que o bloco do Comércio vai continuar tendo por muito tempo um significado especial para Paulista, não só porque abre a folia de Momo da cidade, mas por conseguir reunir gerações, num clima de união, alegria e segurança”, destacou.

Sempre presente ao desfile, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura, Fabiano Mendonça, disse que o Carnaval do Paulista começou com o pé direito. “Nesse ano, a gestão do prefeito Junior Matuto vai apoiar carca de 150 blocos e agremiações carnavalescas. Nossa expectativa é a melhor possível. Estamos trabalhando com uma estratégia muito simples. Como o nosso Carnaval é descentralizado, queremos que os desfiles dos blocos se transformem em momentos de confraternização para os moradores”, adiantou.

Em 2018, a folia de Momo da cidade conta com a parceria do Governo de Pernambuco, por meio da Empetur e Fundarpe, além da instituição financeira Bradesco. Apesar do orçamento enxuto, como ocorreu no ano passado, a festa promete encantar os foliões. O investimento público e de patrocínio no Carnaval é de R$ 500 mil.

Efetivo – Para garantir a segurança dos foliões, a Prefeitura do Paulista mobilizou diversos profissionais para atuar durante o bloco. Além de agentes de trânsito, que ficaram responsáveis pelo controle nos acessos à festa, o esquema especial de trabalho contou com a presença de guardas municipais e socorristas. A iniciativa envolveu as secretarias de Mobilidade e Administração das Regionais; Segurança Cidadã e Defesa Civil; e Saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário