.

.

24 de maio de 2018

Falta de abastecimento pela greve dos caminhoneiros afeta serviços essenciais em Paulista

Por conta da falta de abastecimento provocada pela greve dos caminhoneiros, a Prefeitura do Paulista teve diversos serviços considerados essenciais afetados. Sem conseguir abastecer a frota desde a última terça-feira, o trabalho de várias secretarias vem sendo seriamente prejudicado. Destaque para os serviços desempenhados pelas pastas de Educação; Políticas Sociais e Esportes; Executiva de Serviços Públicos; Mobilidade e Administração das Regionais; Desenvolvimento Urbano e Habitação; e Saúde.

Confira a situação:

Educação:
As escolas da rede municipal estão funcionando de acordo com as possibilidades individuais. Algumas unidades abriram com o efetivo normal, outras com déficit de estudantes e professores. As equipes gestoras podem adotar medidas de flexibilização e manter o funcionamento dentro do possível. Apesar disso, é necessário fazer os devidos registros, justificativas e permanente comunicação com Secretaria de Educação. Os transportes escolares estão garantidos para todos os estudantes até hoje. As cantinas estão abastecidas o que não deve prometer a merenda dos alunos.

Políticas Sociais e Esportes:
A falta de combustível afeta os serviços desempenhados pelos centros de Referência da Assistência Social (CRAS) e de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), além dos Conselhos Tutelares. Não está sendo possível fazer visitas domiciliares do CadÚnico, nem tão pouco elaborar relatórios psicossociais exigidos pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Os veículos que servem as Casas de Acolhimento estão com o combustível na reserva, só podendo ser usado em caso de urgência, como no socorro de um usuário até uma unidade hospitalar. A secretaria possui 13 viaturas. Deste total, 90% estão sem poder rodar.

Secretaria Executiva de Serviços Públicos:
Algumas localidades já não contam com a coleta de lixo regular desde ontem. Sem poder abastecer a frota, o órgão terá de suspender o recolhimento dos resíduos domiciliares a partir do meio dia de hoje. Ao todo, 14 caminhões compactadores e outros seis do tipo caçamba devem deixar de realizar o serviço. A situação compromete também o trabalho de limpeza de canais e retirada de entulhos com a retroescavadeira; terraplenagem de vias com a máquina motoniveladora; poda de árvores com motosserra; e capinação com roçadeira. Todos eles já estão sem combustível. Até as cinco viaturas das equipes de fiscalização estão sem poder rodar.

Mobilidade e Administração das Regionais:
O trabalho de fiscalização de trânsito nas vias da cidade já está comprometido. A frota é composta por 12 motos e quatro viaturas. Deste total, cinco estão sem poder circular pela cidade, sendo quatro motocicletas e um carro do tipo gol. A tendência é que ao longo do dia mais veículos fiquem desabastecidos.

Desenvolvimento Urbano e Habitação
O serviço de fiscalização de obras está temporariamente suspenso, bem como o trabalho desempenhado pela equipe da cartografia. Ambos os setores necessitam fazer inspeções inloco o que não está sendo possível. A única viatura que ainda possui combustível não está podendo realizar as atividades de rotina e fica liberada apenas para situações emergenciais.

Saúde
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) só tem combustível para atendimento até esta quinta-feira, 24.

A Prontoclínica Torres Galvão (PTG) está mantendo os serviços através de uma equipe mínima. Porém, alguns profissionais não conseguiram chegar à unidade. A ambulância que realiza a remoção de pacientes já está sem combustível. Quem precisar ser transportado para outra unidade terá de ser pelo SAMU.

Os pacientes com microcefalia, além dos que precisam de locomoção para realizar quimioterapia, radioterapia, ou de ordem judicial que são encaminhados para o Recife, dentro do programa Segue Cuidando, terão garantia de transporte apenas até esta quinta.

Em relação aos prestadores de serviço e coletas de exames, por enquanto ainda estão sendo executados os serviços, no entanto, a partir de amanhã é possível que haja déficit de atendimento.

Nas unidades de Saúde da Família, o esquema especial é de cooperação solidária entre as equipes, para que se mantenha a unidade aberta para acolher aos usuários, no entanto, não há garantia de equipes completas nos postos.

Nos postos que dispõem de vacinas no estoque, a população está sendo atendida, mas não há como fazer a reposição das doses onde for desabastecido, bem como não há como fazer reposição de insumos, em unidades com baixo estoque de material médico-hospitalar e de medicamentos.

Algumas unidades de saúde estão sem atendimento. Os faltosos sem justificativa deverão ser notificados e levarão faltas, já que a proposta é de que os que morem perto das unidades, abram normalmente para acolher a população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário