.

.

18 de maio de 2018

Respaldada por Lei, Prefeitura realiza entrada forçada em imóvel com focos do Aedes aegypti no Janga

Profissionais de Vigilância Ambiental do Paulista realizaram uma ação na manhã desta sexta-feira (18.05) para eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti – vetor da Dengue, Zika e Chikungunya – numa residência localizada no bairro do Janga. Respaldados pela Lei Municipal 4.589/2016, que garante o ingresso forçado em imóveis públicos e particulares no caso de recusa ou de ausência de responsável, os funcionários da Secretaria de Saúde entraram na casa abandonada para manter o ambiente livre da presença de transmissores de doenças. A ação ocorreu na Rua Anísio Vitorino de Queiroz, nas proximidades do Clube da Caixa.

O ingresso forçado foi adotado porque os agentes não puderam ter acesso ao imóvel. Como o proprietário não foi localizado durante as visitas, a notificação foi afixada no portão, determinando um prazo para que o responsável procurasse à Superintendência de Vigilância em Saúde, no Centro da cidade. Durante o período, ninguém compareceu ao órgão. Isso motivou a ação da prefeitura, que aproveitou a oportunidade para capinar o matagal, eliminar os focos do Aedes e ainda aplicar veneno para ratos, baratas, escorpiões e até caracóis.

Vizinho do imóvel abandonado, o carreteiro Márcio Rodrigues aprovou a ação da prefeitura. “Desde que decidi morar aqui há 12 anos nunca vi ninguém cuidar desse lugar. É um abandono só. O mato cresce e atrai muitos insetos, inclusive, o Aedes. Eu mesmo já tive Dengue. E ninguém me tira da cabeça que foi por conta dessa situação. Isso sem falar dos cupins que já levaram alguns móveis meus, como guarda-roupa, armário da cozinha e janela do quarto. Até cobra já saiu daí para picar um cachorro que eu tinha. Então, nós como moradores, só temos que agradecer por essa ação da prefeitura”, frisou.

Esse tipo de trabalho faz parte da rotina das equipes da Vigilância Ambiental. Diversos imóveis nessa situação já foram alvo de ações dessa natureza. Quem ainda não conhece esse trabalho pode procurar ajuda na Superintendência de Vigilância em Saúde, que fica na Praça João XXIII, S/N, no Centro, funciona de segunda a sexta, das 08h às 16h. Casos semelhantes podem ser informados pelo 3437.4174.

Nenhum comentário:

Postar um comentário