.

.

12 de junho de 2018

Festa junina das Poderosas do Janga arrasta multidão na Orla de Paulista

Ao som de muito arrasta pé e forró pé-de-serra, as Poderosas do Janga tomaram a Orla do bairro, na manhã desta terça-feira (12.06). Desde as 6h, o grupo que é integrado por participantes dos polos do Programa Saúde em Movimento, começou com uma quadrilha, seguindo para um reforçado café da manhã saudável, antes de continuar a animação. 


A novidade desta quarta edição foi a caminhada realizada pelo grupo, com cerca de 450 pessoas, percorrendo um trecho da PE-01, voltando ao local da concentração, em frente ao Bar do Bebeto. 

Uma das participantes da grande festa foi dona Maria da Conceição, 59 anos, que falou da importância em fazer parte dos eventos das Poderosas e de um dos polos do Saúde em Movimento. “Poderosa é você acordar de manhã, botar o tênis e sair caminhando com as amigas todos os dias. E esse nome é em homenagem a uma amiga da gente que teve um câncer”, frisou. 

Para o coordenador da Saúde do Idoso da Secretaria de Saúde do Paulista, Valdir Santos, essa festa também é uma maneira de divulgar o alerta para o combate à violência contra o idoso, por meio da Campanha do Junho Violeta. 

“Dentro desse mês a gente tem toda uma programação. No dia 7 tivemos, no Ministério Público, uma capacitação para os profissionais de Saúde e da Secretaria de Assistência Social, e para alguns idosos. No próximo dia 29, teremos uma ação de divulgação contra a violência contra a pessoa idosa, no Terminal Integrado de Passageiros Pelópidas Silveira”, explicou Valdir. 

A secretária de Saúde do Paulista, Fabiana Bernart, também caiu na animação do grupo. Na ocasião, a gestora reforçou acerca da campanha do Junho Violeta, e ressaltou a importância de eventos como esse, que tira o idoso de dentro de suas residências para um convívio e interação social, que é a proposta da Prefeitura do Paulista, por meio da Secretaria de Saúde. 

“Quando a gente vem para um evento como esse e vê a alegria contagiante que os idosos trazem, a gente sente que ele passa a não ser só um idoso para tratar das doenças que a terceira idade traz, mas sim, a ser um sujeito ativo do seu processo, não só de saúde, como dentro da sociedade. É isso que a Secretaria de Saúde espera do idoso”, concluiu Bernart. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário