.

.

13 de junho de 2018

Operação “Bar Seguro” é debatida em audiência pública no Paulista

A Câmara dos Vereadores do Paulista serviu de palco, na manhã desta terça-feira (12.06), para uma audiência pública para esclarecer alguns pontos referentes à operação “Bar Seguro”. Esta iniciativa é coordenada pelo Corpo de Bombeiros, com o apoio da Prefeitura e do 17º Batalhão da Polícia Militar.

Além da interdição dos estabelecimentos que estiverem em desacordo com o Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico (COSCIP), a operação visa combater a venda de bebidas alcoólicas aos menores de idade; a prostituição e o porte ilegal de armas.

O tenente coronel e chefe de fiscalização do Corpo de Bombeiros, Erick Aprígio, explicou como a operação vem se desenvolvendo no estado de Pernambuco. “Essa operação consiste em fiscalizações noturnas, feitas não só em bares, como em restaurantes, casas noturnas e eventos também. Nosso objetivo é garantir a segurança da população, evitando que casos como o da boate Kiss ocorra em nosso estado”, afirmou.

Para ter uma ideia, em 2017, 36 operações foram realizadas na cidade, onde 204 estabelecimentos foram visitados e 162 interditados. Esses números apontam que 79% dos estabelecimentos funcionavam de forma irregular. Nessas operações, nove pessoas foram presas por porte ilegal de armas e favorecimento a prostituição.

“Decidimos realizar essa audiência pública para esclarecer à população, principalmente aos comerciantes, qual é o intuito da operação. Ao nosso entender, ela serve para qualificar os estabelecimentos, garantindo a segurança dos comerciantes e dos usuários”, enfatizou o responsável pelo encontro, o vereador Camelo do Seguro.

Também presente no debate, o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Paulista, Robertinho Couto, esclareceu sobre as informações que os comerciantes precisam ter, para garantir um estabelecimento seguro. “Os comerciantes precisam ter ciência de que existe a lei federal do micro e pequeno empreendedor que garante ao empresário de pequeno porte a gratuidade em suas taxas, tanto a do atestado de regularidade do Corpo de Bombeiros, como a do alvará de funcionamento da Prefeitura. Às vezes, a pessoa está na clandestinidade por falta de conhecimento, ou por achar que a burocracia vai atrapalhar ou atrasar a sua vida. Tendo em mão essas informações, eu peço para que vocês façam o teste. Paulista tem a emissão de alvará de funcionamento mais rápida do Brasil. Se o cidadão trouxer todos os documentos necessários, conseguimos emitir o alvará em até 48hrs”, destacou o gestor.

Também estiveram presentes na reunião, o secretário de Segurança Cidadã e Defesa Civil do Paulista, Manoel Alencar, Capitão Manassés do 17º BPM; o diretor de Trânsito, Carlos Jatobá; o diretor de Transporte, Alessandro Rodrigues; o comandante da Guarda Municipal, Josias Silva e representando a Secretaria de Saúde, Fabio Diogo, superintendente de Vigilância em Saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário