.

.

30 de agosto de 2018

Paulista realiza seminário “Pelo Respeito às Diferenças”

A Secretaria de Políticas Sociais e Esportes do Paulista, em parceria com o Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, realizou na tarde desta quinta-feira (30.08) o Seminário “Pelo Respeito às Diferenças”. O evento, que aconteceu no Bloco B do Centro Universitário Joaquim Nabuco, em Paulista, fechou o calendário da Semana Municipal da Pessoa com Deficiência, e reuniu diversos membros da sociedade.


A cerimônia teve início com uma peça teatral, com integrantes da Ong Anjos da Guarda, que retratou os preconceitos de muitas pessoas sobre o assunto, além das dificuldades enfrentadas por pessoas que possuem algum tipo de deficiência. A peça chegou ao fim com um “abraçaço” dos atores aos membros da plateia.

Logo após, a fonoaudióloga Ludmila Lima e o psicólogo e coordenador da Ong Anjos da Guarda, Fernando Arruda, trataram sobre diversos assuntos voltados ao Autismo, dentre eles, as relações familiares, cuidados, processo de aprendizado. Algumas pessoas da plateia explanaram suas ideias, tiraram dúvidas e deram um testemunho sobre o tema abordado.

A fonoaudióloga salientou sobre a quebra de paradigmas, destacando que “a população precisa enxergar, que o autista pode se desenvolver, de que ele é um sujeito com potencialidades e que mesmo que demore um pouco mais, o autista pode alcançar os seus objetivos, quebrando o paradigma do preconceito no que diz respeito à inclusão desta pessoa na sociedade”.

Fernando Arruda aproveitou para enfatizar um pouco do trabalho realizado pela Ong Anjos da Guarda, no apoio às pessoas com deficiência. “A Ong foi fundada em 1999, e trabalha com a reabilitação de pessoas com deficiência, onde são ofertados atendimentos de fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, psicopedagogia e psicologia”, elencou.

O secretário de Políticas Sociais e Esportes, Augusto Costa, fez um balanço da semana, destacando que “para o município foi muito bacana a realização desta campanha, pois, foi possível levar a diversos pontos da cidade palestras, apresentações, além de chamar a sociedade para uma inclusão social, não havendo discriminação por qualquer que seja o motivo, e sabendo que mesmo que sejam necessárias adaptações para a mobilidade interna ou externa de uma pessoa com deficiência, que elas são pessoas como nós”, frisou.

O Seminário ainda contou a ajuda da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), onde dois intérpretes se revezavam no auxílio da comunicação para surdos-mudos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário