.

.

30 de novembro de 2018

Juiz da Vara da Mulher de Olinda e Paulista participa de campanha de combate à violência doméstica

A Justiça pernambucana é uma das maiores aliadas no combate à violência doméstica no Estado ao garantir à vítima medidas protetivas e outras iniciativas que coíbem - e até educam - o agressor. Para reforçar a rede de ações cujo objetivo é reduzir ao máximo os números desse gravíssimo problema social, a Associação dos Magistrados de Pernambuco (AMEPE) lançou uma campanha online em que juízes ensinam à mulher agredida o caminho para se proteger. 

Magistrados da Vara da Mulher de diversos municípios do Estado (Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Caruaru, Igarassu, Camaragibe, São Lourenço da Mata, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca) explicam, cada um direcionado ao próprio público, em um vídeo simples e educativo, o passo a passo que deve ser percorrido pela vítima. O juiz Rafael Morais representou Olinda e Paulista. O foco da campanha é estimular a denúncia e fazer com que as pernambucanas saibam como se proteger, apontando seus agressores para que possam ser julgados e punidos.


Idealizada pela Diretora de Comunicação da AMEPE, a juíza Eunice Prado, a produção audiovisual ainda esclarece os tipos de violência que acontecem em âmbito doméstico que vão além da física: psicológica, verbal, sexual e patrimonial. Números da Polícia Militar, o 190, e da Central de Atendimento à Mulher, o 180, são destacados nos filmes, que trazem informações de Delegacias e Varas da Mulher de todas as regiões citadas.

A produção marca a estreia do canal TV AMEPE Pernambuco e está disponível no YouTube, no endereço: https://www.youtube.com/watch?v=2-DKEGYH4aI.

Feminicídio
A campanha dedica um vídeo apenas para o feminicídio, quando a mulher é assassinada em um contexto de desigualdade de gênero, em que a figura masculina se sente superior à feminina. Com o mote “o homem que xinga hoje, pode bater amanhã e um dia até matar”, a ideia da produção é facilitar o entendimento desse tipo de crime cuja definição ainda é recente e encorajar mulheres em situação de violência a denunciarem e não entrarem para as estatísticas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário