.

.

22 de janeiro de 2019

Infrações por alcoolemia caem pela metade em Pernambuco

Após completar sete anos como política de Saúde Pública do Governo de Pernambuco, a Operação Lei Seca (OLS) encerrou o ano de 2018 com o maior número de abordagens a motoristas e motociclistas desde que iniciou as fiscalizações, em dezembro de 2011. Durante todo o ano passado, mais de 440 mil pessoas foram paradas nas blitze instaladas em todo território pernambucano - um aumento de 75,6% na comparação com 2012, quando foram 251 mil abordagens.



Em contrapartida, mesmo com o aumento progressivo das abordagens, ano a ano, e de maneira inversamente proporcional, as notificações por alcoolemia (quando há a constatação do consumo de bebida alcoólica, crimes de trânsito ou a recusa ao teste do bafômetro), caíram pela metade no Estado, contabilizando 4,3 mil no ano passado (944 constatações do uso de álcool, 105 crimes e 3,2 mil recusas ao teste do bafômetro) contra mais de 8,6 mil em 2012.

As notificações por alcoolemia já chegaram a representar 3,43% do total das abordagens das blitze da Operação Lei Seca no ano de 2012. Entre 2013 e 2017, a média foi de 1,6%. Já em 2018, o percentual destas infrações ficou em 0,97% - o menor índice desde o início das fiscalizações comandadas pela Secretaria Estadual de Saúde. A notificação de crimes de trânsito, quando o motorista é flagrado dirigindo sob a influência de álcool com concentração superior ao estabelecido pela legislação (0,33 miligramas de álcool por litro de ar) alcançou 473 casos em 2012. Ao final de 2018, também foi registrado o menor número destes crimes desde a implantação da Operação, com 105 ocorrências – uma redução de 78%. A quantidade de recusas ao teste do bafômetro também mostra uma diminuição ao longo de todo o período e é reflexo da mudança de hábitos que as ações de educação e fiscalização da OLS vêm promovendo na população. Em 2012, mais de 7 mil condutores recusaram fazer o teste. Já em todo o ano passado foram apenas 3,2 mil – uma redução de 53,8%.


"A OLS foi criada como estratégia para o enfrentamento aos acidentes de trânsito e para salvar vidas. Uma análise histórica dos números nos permite avaliar a mudança de comportamento dos condutores sobre o hábito de beber e dirigir, seja pela quantidade geral das autuações por alcoolemia, seja especificamente por cada uma delas. Ano a ano, seguidamente estamos batemos a meta de superar o número de condutores abordados e podemos verificar que há uma diminuição das notificações pelo uso da bebida alcoólica e o percentual de multas por alcoolemia está sempre em queda, mostrando que os condutores estão cada vez mais conscientes do papel que desempenham enquanto cidadãos e da responsabilidade de garantir um trânsito seguro", pontua o coordenador da OLS em Pernambuco, Fábio Bagetti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário