.

.

25 de janeiro de 2019

Meio Ambiente do Paulista realiza ação com foco na preservação das tartarugas marinhas

Com o objetivo de informar e sensibilizar a população do Paulista sobre as ameaças que algumas práticas humanas trazem para a vida das tartarugas marinhas, a Sec. Executiva de Meio Ambiente (SEMMA) do município incluiu o projeto “Praia Viva” (ação de monitoramento das tartarugas marinhas, nos locais de desova), na programação de final de semana do “Viva Orla”. A ação acontece neste sábado (26.01) e domingo (27.01), das 08h às 12h, na praia do Janga.


Na ocasião, uma equipe da pasta conversará com os pescadores, transeuntes e banhistas sobre algumas medidas que contribuem com a preservação da vida desses animais. De acordo com uma cartilha elaborada pelo Núcleo de Sustentabilidade do Paulista, a pesca artesanal e industrial, e a poluição dos mares, são grandes responsáveis pela ameaça de extinção das tartarugas.

No Paulista, o monitoramento desses ninhos está acontecendo desde setembro do ano passado. A iniciativa tem possibilitado que os filhotes cheguem ao mar com segurança. O período de desova segue até o mês de março.

A população para denunciar qualquer irregularidade contra as tartarugas, pode ligar para a SEMMA, 3433-1311, de segunda a sexta, das 08h às 16:30; para a Defesa Civil 153, que funciona diariamente, por 24h; ou através do e-mail, nsusemapaulista@gmail.com.

CRIME AMBIENTAL:

De acordo com a Lei Federal Nº 9.605/98, é crime passível de multa:

- Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida;

- Quem impede a procriação da fauna, sem licença, autorização ou em desacordo com a obtida;

- Quem modifica, danifica ou destrói ninho, abrigo ou criadouro natural;

- Quem vende, expõe à venda, exporta ou adquire, guarda, tem em cativeiro ou depósito, utiliza ou transporta ovos, larvas ou espécimes da fauna silvestre, nativa ou em rota migratória, bem como produtos e objetos dela oriundos, provenientes de criadouros não autorizados ou sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente.

Obs: Detenção de seis meses a um ano, e multa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário