.

.

9 de abril de 2019

Escola Gêlda Amorim sedia abertura da semana em combate ao bullying no Paulista

Alunos da rede municipal de ensino do Paulista participaram da abertura da Semana Municipal de Prevenção ao Bullying e a Violência nas escolas, na tarde desta segunda-feira (08.04). Desta vez a Escola Municipal Drª Gêlda Amorim, em Paratibe, foi a escolhida e nela estavam presentes cerca de 320 estudantes de 10 a 15 anos de idade.


O encontro contou com a presença de alguns palestrantes do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) e do educador Esdras Cabral, que promoveram algumas dinâmicas sobre a conscientização e o combate ao bullying nas escolas.

“Atualmente, o bullying é muito recorrente nas escolas e na sociedade como um todo, e a Secretaria de Educação está oferecendo as crianças esta semana de conscientização, onde trabalhamos a questão da ‘paz’, buscando envolver todos os componentes que operam para que esta paz seja presenciada na escola, na família, na sociedade e entre amigos, para isso, um dos grandes inimigos, é o Bullying. Um mal que afeta crianças e adolescentes, principalmente aqueles mais retraídos, que geralmente não sabem lidar com isso e chegam até a desistir da aula, se afastando da família e se sentindo inferiorizado e incompetente e daí surgem as questões psicossomáticas. Portanto estamos aqui para orientá-los sobre o bullying e ensiná-los ainda mais sobre o respeito a qualquer diferença que seja”, afirmou o educador, Esdras Cabral.

A gestora da unidade de ensino, Edenilza de Souza, ressaltou a importância da escola no combate a esta prática. “Através de palestras e trabalhos dentro da sala de aula e no cotidiano dos estudantes, buscamos eliminar essas agressões que podem ser intencionais, verbais ou físicas, causando traumas sérios para as crianças. Procuramos resolver da melhor maneira possível com os familiares dos envolvidos para que essa situação seja mudada. Esta semana é muito importante, pois damos início a uma programação voltada a esses conflitos nas escolas do Paulista, tentando mediar e conscientizar essas situações entre os alunos”, disse Edenilza.

“Já sofri bullying várias vezes na minha infância, sendo chamada de ‘sem mãe’ pelo fato da minha mãe ter morrido, ou de ‘gorda’, por estar um pouco acima do peso, e isso mexeu com minha mente e me fez muito mal, pois sentia muita vergonha em falar e chorava a todo instante. Com o apoio da minha família junto a um psicólogo, me afastei dessa situação horrível de impotência. Precisei sair da antiga escola e ingressei nesta com a ajuda do meu pai”, disse Emily Vitória, estudante do oitavo ano letivo da Escola Drª Gêlda Amorim, frisando a experiência que sofreu aos 5 anos de idade.

Durante a semana a ação acontecerá em 23 escolas da cidade, porém o intuito é que o projeto contemple todas as escolas no município ao longo do ano. O evento também contou com a presença do chefe de gabinete do município, Francisco Padilha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário