.

.

3 de maio de 2019

InBetta comemora um ano de operação em Paulista com resultados positivos, e anuncia a construção de uma nova fábrica na cidade

Inaugurada em abril de 2018, unidade fabril do Grupo contabiliza superávit em produção, faturamento e quadro funcional.O  grupo gaúcho InBetta, com atuação nacional, tem uma receita que considera infalível quando o assunto é crescimento em épocas de crise: Não deixar de investir.

Tendo em seu DNA raízes fortes de pioneirismo e arrojo, colocou em prática essa teoria quando decidiu ampliar as instalações que possuía em Pernambuco. Com o objetivo de melhor atender não só o mercado local, mas grande parte do Nordeste – considerado estratégico para a empresa, decidiu permanecer no estado Pernambucano. Realizou um aporte financeiro de 160 milhões na construção de uma nova unidade fabril na cidade do Paulista, que ficou pronta em abril de 2018 e possibilitou a ampliação das suas operações.

Detentora das marcas Bettanin, Atlas, Sanremo, Ordene e SuperPro, a InBetta  que chegou a cidade do Paulista, fruto do empenho do Prefeito Junior Matuto com o Governador Paulo Câmara, comemora bons resultados conquistados em apenas um ano de funcionamento na nova fábrica. A produção e o quadro de funcionários diretos já quase duplicaram, o faturamento triplicou e os números não param de crescer.

Atualmente, no local são fabricados bens de consumo para limpeza, ferramentas, utensílios domésticos, entre outros produtos. “Investimos em tecnologia de ponta que permitirá uma expansão ainda maior nos próximos anos. Estamos produzindo com excelência, e podemos dizer que nossos objetivos estão sendo alcançados com trabalho sério e muita dedicação”, avalia o diretor presidente, Eduardo Bettanin.

Com uma ampla estrutura, além da unidade fabril há ainda um Centro de Distribuição com os múltiplos produtos de todas as marcas do grupo, que atende 90% do mercado do Nordeste e agilizou o processo de entregas.

Aproveitando o bom momento e o promissor mercado, a InBetta está investindo mais R$ 30 milhões no local. Desta vez, para a construção de uma fábrica de Nãotecido (Nonwoven), com 2 mil m² e capacidade para produzir 200 toneladas ao mês. O novo investimento fará com que o grupo deixe de importar panos multiusos e passe a produzir o produto em solo brasileiro. “A unidade de Paulista será a precursora desta tecnologia de tecidos diferenciados”, destaca o executivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário