.

.

18 de setembro de 2019

Programa Criança Feliz entrega mil livros infantis para estimular nas crianças o hábito pela leitura

“Este livro vai ser bom para o meu filho aprender as letrinhas, ver as figuras e as cores que ajudam no desenvolvimento dele. Mesmo sendo muito novo, ele vai ver as imagens e as cores e depois vai saber identificar cada uma delas”, afirmou Waleska Neves, faxineira e mãe do pequeno Gilberto Yuri, de apenas 1 ano e 4 meses, que participou junto com sua família, da entrega de mil livros de histórias infantis num encontro do Programa Criança Feliz, na tarde desta terça-feira (17.09). A entrega aconteceu no auditório da Secretaria de Saúde, em Maranguape I.

Doados pela Fundação Itaú Social, os livros foram entregues através da Secretaria de Políticas Sociais e Esportes, e recebidos pelos pequeninos com muita animação. O Programa Criança Feliz promove o desenvolvimento da criança em situação de vulnerabilidade e risco social, abraçando mais de mil famílias em toda a cidade do Paulista.

Na ocasião, a coordenadora do programa, Ana Carla Paes, falou sobre a importância das crianças do Paulista terem ainda mais acesso a historinhas infantis, como as citadas no livro. “Recebemos esses livros para serem entregues as crianças, e a gente se preocupou muito que essa entrega buscasse a reflexão com relação a leitura e a importância dos contos no desenvolvimento infantil. Além do Itaú Social, firmamos uma parceria com o SESC de Santo Amaro, que disponibilizou uma pessoa para contar histórias para não ser uma simples entrega de livro e sim um trabalho de crescimento para essas famílias”, disse.

Para Márcia Rodrigues, palestrante convidada e bibliotecária do SESC Santo Amaro, a ideia do projeto de entrega dos livros é fortalecer o vínculo dos pais com os filhos. “Fizemos algumas brincadeiras, num momento de descontração, pois, não queríamos que esse momento de entrega fosse apenas de pegar os livrinhos e entrega-los aos pais, e sim que nós pudéssemos conversar um pouco da importância em ser um exemplo na leitura para os filhos, mantendo essa relação de vínculo com as crianças e fazer com que os pais sintam na potência para fazer esse papel tão importante que é educar. O caminho é o ‘fazer juntos’ e não o ‘faça’ apenas”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário