.

.

5 de outubro de 2019

Gestores municipais e o deputado João Campos vistoriam vazamento de óleo cru na orla do Paulista

O chefe de Gabinete Francisco Padilha e o secretário de Meio Ambiente Robertinho Couto, da Prefeitura do Paulista, acompanharam o deputado federal João Campos, numa visita técnica à Praia da Enseadinha, no Janga, durante agenda administrativa no Estado, na manhã deste sábado (05.10). A visita teve como objetivo avaliar os impactos ambientais causados pelo vazamento de óleo cru que atingiu todo o litoral do Nordeste. 

Por ter sido uma das áreas mais afetadas com a presença do óleo cru, a comissão esteve na Praia da Enseadinha para conversar com os pescadores e a comunidade. No local, foram obtidas informações que serão levadas para a comissão na Câmara dos Deputados em Brasília. Até o momento, não se sabe as causas e os responsáveis pelo despejo irregular do material no mar. 

“A visita do deputado João Campos foi muito importante porque precisamos cobrar das autoridades uma investigação para que sejam encontrados os responsáveis por esse crime ambiental e aplicar as sanções devidas”, disse Francisco Padilha. 


“Dependendo do desdobramento das ações, não está descartada a possibilidade de instalação de uma comissão externa para acompanhar e investigar as regiões atingidas para fazer o levantamento necessário e participar de todo o processo de mitigação dos danos causados”, disse João Campos. 

O deputado Federal João Campos já apresentou dois requerimentos. Um é solicitando informações aos órgãos responsáveis para que o caso investigado e buscar os culpados por essa tragédia. O outro é convocando uma audiência pública que será marcada. 

“O deputado João Campos solicitou essa visita. Nós conversamos com alguns pescadores que estão preocupados com esse crime ambiental, assim como a gestão municipal. Eles disseram que estão impossibilitados de realizar a pesca há mais de um mês. Ainda não sabemos se foi um vazamento de óleo ou derramamento proposital. Então fomos no local para verificar os danos e fazer um estudo para que as medidas sejam adotadas”, disse o secretário de Meio Ambiente do município Robertinho Couto. 

Também presente na visita, o gestor ambiental da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Meio Ambiente do município Herbert Andrade disse que todo vazamento de petróleo é considerado uma catástrofe ambiental. “ Nós temos um fato alarmante porque não observamos nenhuma presença das tartarugas. Estamos no período da desova. Acreditamos que esse fato está diretamente ligado ao derramamento de óleo. Isso é muito preocupante porque esse material pode ter causado a morte desses animais que estavam se dirigindo à nossa orla. Então vamos continuar acompanhando e monitora a temporada das tartarugas que vai até março”. 

Os técnicos da Secretaria de Meio Ambiente do município vêm monitorando e realizando um mapeamento dos danos causados desde o surgimento das manchas de óleo na orla do município no início de setembro. 

O diretor da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) Eduardo Elvino, professores da Universidade Federal de Pernambuco e os técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Meio Ambiente do município também participaram da visita. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário