.

.

30 de outubro de 2019

Handebol da Escola Estadual Custódio Pessoa promove transformação inspiradora entre os estudantes

Foto/ Kleyvson Santos
Pelos corredores da Escola Estadual Custódio Pessoa, da cidade do Paulista, Wellington José é reconhecido por estudantes, professores e gestores. Japa, como é mais conhecido, foi aluno da instituição de ensino entre o ensino fundamental e o primeiro ano do ensino médio. Seis anos depois, ele retornou à escola com um projeto muito mais ambicioso: transformar a realidade dos estudantes através do esporte. E conseguiu. De 2017 para cá, tem se dedicado a uma equipe de handebol que, degrau por degrau, conseguiu ser campeã dos Jogos Escolares de Pernambuco, vice-campeã da fase regional dos Jogos Escolares da Juventude e, por consequência, conquistou classificação para a fase nacional da competição, considerada a maior do País, e que será disputada em novembro, em Santa Catarina. 


Após dois anos esbarrando em fortes adversários e ficando pelo meio do caminho nos JEPs, Japa passou um lema para os alunos/atletas. “A cada jogo digo a eles que nunca perdemos: ou ganhamos, ou aprendemos. As derrotas nos motivaram a treinar mais, nos dedicarmos mais e, por consequência, acreditarmos que éramos capazes”, contou. O trabalho desenvolvido vai além da quadra esportiva. “Quando nossa cabeça não está bem, o corpo não funciona como esperamos, por isso que me preocupo muito com a parte psicológica, passando para eles a importância do respeito, disciplina, comunicação e dedicação”, complementou o jovem professor, que garante: “É uma responsabilidade que eu tenho, porque, de certa forma, sou a referência deles, então faço de tudo para que eles acreditem que não é porque vivem em uma comunidade que não podem mudar de vida, crescer e serem profissionais. Eles podem”. 

Tanta motivação tem protagonizado um trabalho transformador na Custódio Pessoa. A exemplo de Ulisses da Silva. Há um ano e meio o handebol mudou sua rotina escolar e resgatou seu relacionamento com professores, amigos e a própria família. “O handebol me deu disciplina, consciência, respeito pelo próximo e mudou minha vida de uma forma inexplicável. Minha forma de pensar mudou, meu comportamento, a forma como eu agia, tudo foi moldado pelo esporte”, destacou o meia direito. A tão sonhada classificação para os Jogos da Juventude foi a cereja do bolo na vida de Ulisses, que no ano passado recebeu da escola o certificado de ‘aluno referência’ pelas boas notas e exemplar comportamento. “Japa fez toda a diferença”, complementou. 

Com os olhos marejados, Aliete Oliveira, gestora da escola há 26 anos, destacou a importância do esporte como agente transformador. “Todo gestor quer ver a escola crescer. Em qualquer modalidade que eles cresçam, para nós, é uma realização. O time é um orgulho para a escola e, para eles, ter Japa como professor é mais do que uma motivação, ele é uma inspiração, além de ser psicólogo, amigo, pai e irmão dos meninos. É um fruto da nossa escola que hoje voltou para fazer a diferença na nossa instituição”, garantiu. 

Jogos Escolares da Juventude 

Entre os dias 16 e 30 de novembro, o time de handebol da Custódio Pessoa se junta a outras 13 equipes de Pernambuco em outras modalidades para disputar a fase nacional dos Jogos Escolares da Juventude, em Blumenau, Santa Catarina. Até a competição, os jovens atletas treinam em quadra três vezes por semana e fazem trabalho de fortalecimento muscular duas vezes na academia. “Sabemos da qualificação das outras equipes, mas estamos confiantes. Temos união e um coletivo muito forte. Estamos nos preparando muito na parte de força e resistência, além de um trabalho tático com estratégias para que possamos fazer um bom campeonato”, complementou Japa.

Fonte/ Site da Secretaria de Educação de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário