.

.

1 de novembro de 2019

Em Paulista, EREM Escritor José de Alencar participa da F1 in Schools

A Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Escritor José de Alencar, da cidade do Paulista, conta com duas equipes participando da etapa regional da F1 in Schools, projeto educacional e de empreendedorismo apoiado pelo Fórmula 1 e operado pelo SESI no Brasil, com a finalidade de desenvolver competências e habilidades de ciências, tecnologia, engenharia e matemática em estudantes de escolas públicas e privadas do ensino fundamental II, ensino médio e técnico de diversos países. As equipes são as únicas que representarão o Nordeste na disputa, que acontece em fevereiro de 2020, no Rio de Janeiro. 

As equipes participantes recebem a tarefa de montar escuderias (empresas de automóveis) de Fórmula 1 que se preparam para a competição com funções divididas, tais como: gerente de negócios, engenheiro chefe, design 3D, empreendedor social, marketing e financeiro. De agosto até o dia da apresentação da escuderia, os integrantes criam e executam seus projetos de acordo com cada função, e também darão vida a uma miniatura de um carro de corrida.

“Como nós somos as únicas equipes do Nordeste, vamos competir com a regional do Rio de Janeiro, que só tem outra equipe de escola pública, totalizando três na mesma categoria”, detalhou Ricardo Araújo, professor de química da escola. “Em fevereiro, os nossos grupos vão apresentar as empresas e levar o carrinho, que vai se submeter a uma corrida numa pista retilínea de 20 metros, competindo com outras equipes. Mas o carrinho não é o foco. O que será avaliado nesse projeto todo é a funcionalidade da empresa, pois a intenção da F1 in Schools é garimpar novos talentos em diversas áreas”, acrescentou o professor. 

As equipes da EREM são a Falcom e a Phoenix. A estudante Yasmin Amaral, engenheira-chefe da Falcom, afirma que mais do que competição, a F1 in Schools já está deixando um legado de responsabilidade e maturidade na escola. “Aqui, cada um tem sua função e a gente procura aprender cada dia mais para poder dar conta das demandas, ser o mais profissional possível e acreditar mesmo que estamos gerindo uma grande empresa automobilística. Empreendedorismo, marketing e gestão de negócios, a gente tem que saber de tudo pra fazer o negócio andar”, revelou a aluna. 

Já Letícia de Moura, engenheira-chefe da Phoenix, acredita que as chances de vencer a etapa regional é grande. “Como são apenas três equipes de escolas públicas do país inteiro, eu acho que a gente consegue passar dessa fase. Estamos atrás de patrocinadores, porque é uma das exigências das equipes de Fórmula 1, e creio que em fevereiro a gente vai apresentar o melhor projeto. Vamos abrir mão das nossas férias para dedicar todo o tempo para a nossa escuderia”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário