.

.

4 de novembro de 2019

Paulista inicia plano de desmobilização dos pontos de monitoramento e limpeza da mancha de óleo

Depois de 12 dias da chegada da mancha de óleo nas praias do Paulista, a prefeitura, através do comitê de crise, inicia ações de desmobilização dos pontos montados no Janga e em Pau Amarelo, locais de maior presença de óleo. Apesar do desmonte, ações de limpeza e implantação de um novo protocolo de ação será montado para deixar em alerta a gestão pública, as ONGs parceiras e a população, para agir em caso de nova ocorrência de chegada do óleo que atingiu as praias da Região Metropolitana. 

Felipe Meireles, coordenador da ONG Meu Mundo Mais Verde, também faz parte do Comitê de Crise que está lutando para minimizar os estragos ambientais causados pelo derrame de óleo no mar. Após a reunião, avaliou que Paulista foi um dos municípios que teve uma resposta eficaz e imediata, apesar do difícil acesso de onde chegou a mancha

“Quando a mancha chegou, a gente já estava preparado, com ações de monitoramento. A gestão do Paulista foi um dos municípios que mais colaboraram com o aparato institucional. Com o acolhimento dos técnicos e fornecimento de equipamentos, a secretaria de Meio Ambiente municipal trabalhou junto conosco, se posicionando, vendo o que poderia ser feito, todos os dias, resultando em uma grande união de poder público e sociedade civil. Enfim, tá provado que a união faz a força e a avaliação que fazemos é muito positiva,” concluiu Meireles. 

Nesta reunião no início da manhã desta Segunda-feira, 04.11, o secretário de Desenvolvimento Urbano, Meio Ambiente e Habitação do Paulista, Roberto Couto, anunciou os três movimentos que serão feitos daqui pra frente e que vão resultar aos poucos na desmobilização dos pontos de acompanhamento do óleo no litoral. 

“Neste momento vamos agir com três ações nas praias: primeiro com um monitoramento diário, vamos agir, na maré alta, acompanhando as três eco barreiras nas áreas dos canais e a barreira de contenção no Rio Timbó, instalada em parceira com o Governo do Estado, próximo ao Pontal de Maria Farinha. Vamos intensificar a limpeza, para tirar o máximo de resíduos deixados no trabalho de recolhimento do óleo, para entregar à população os locais com o mínimo de resíduo possível. Por fim, com a experiência adquirida nas últimas semanas, vamos ampliar este plano de emergência, envolvendo mais ainda o poder público, as ONGs parceiras, os coletivos e a população como um todo, para que, caso haja outra incidência de óleo, a gente esteja ainda mais preparado. 

Além de Roberto Couto e Felipe Meireles do Salve Maracaípe, participaram desta reunião de desmobilização dos pontos de monitoramento e definição das novas ações de acompanhamento do incidente ecológico com óleo cru, os gestores Bruna Maldonado, Herbert Andrade, Humberto Seabra, André Raposo, Laurindo Venceslau, Roberto Wanderley, Helton Cunha da Marinha Mercante, Joel Petry da Menos Lixo, Mais Atitude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário