.

.

24 de abril de 2020

Procon do Paulista realiza fiscalização em supermercados e instituições financeiras no município

A alta procura por produtos de primeira necessidade levou o Procon Paulista a fiscalizar nesta sexta-feira (24.04) diversos supermercados na cidade. As visitas se deram por conta de denúncias realizadas por clientes que relataram alta nos preços de itens da cesta básica, além da venda do álcool em gel, produto utilizado na prevenção do novo coronavírus, que estariam com preços abusivos.


Em um hipermercado, localizado no bairro de Maranguape I, uma bandeja com 30 ovos de galinha estava sendo vendida por R$17,50. Já em um supermercado, localizado em Loteamento Conceição, o preço do feijão chegava a ser vendido por R$10,50.

O chefe de fiscalização do Procon, Edi Cordeiro, informa que os proprietários foram notificados. “Recebemos denúncias de clientes que reclamaram de valores altos em itens como ovos, feijão, arroz, entre outros produtos. Ao chegarmos nos estabelecimentos, constatamos a veracidade das denúncias. Nós conversamos com os gerentes e proprietários e os mesmos informam que os fornecedores também estão vendendo os produtos com valores altos”.

O Procon deu um prazo de dois dias úteis para que sejam apresentados as notas de compra que comprovem a alta dos valores.

Além de ir em busca do alimento, os paulistenses estão movimentando também as filas dos bancos e loterias do município em busca do Auxílio Emergencial. No centro do Paulista, por exemplo, funciona um autoatendimento da Caixa Econômica Federal. O local possui oito caixas eletrônicos, onde destes funcionam apenas um.

No meio de tantas pessoas que reclamavam do atendimento estava Paulo Sérgio, que tratou como humilhação a demora para utilizar o caixa do banco. “É humilhante chegarmos a esse ponto. Nós já estamos passando por essa pandemia, onde se pede para que a gente fique em casa, e quando precisamos do mínimo de estrutura desse banco, temos que passar duas horas numa fila, do lado de fora, levando chuva, e com apenas um caixa funcionando. É um absurdo!”

“Constatamos diversas irregularidades no autoatendimento da Caixa, aqui no centro do Paulista. De oito caixas eletrônicos existentes, apenas um funciona. Além disso, não encontramos álcool em gel, nem funcionários para organizar a fila e ajudar as pessoas, quando necessário, a manusearem os caixas. Nós iremos lavrar um auto de constatação, e posteriormente iremos notificar a Caixa sobre as irregularidades, e o banco será multado”, destacou o chefe de fiscalização do Procon.

Caso a população queira registrar algum tipo de denúncia sobre cobrança abusiva deve ligar para o fone do órgão: 3438.7839 ou encaminhar a denúncia por meio do e-mail procon@paulista.pe.gov.br.

Por: Francisco Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário