.

.

2 de abril de 2020

Saúde do Paulista segue com a vacinação do H1N1, imunizando o público prioritário em residências, abrigos e condomínios

A Saúde municipal do Paulista informa que a vacinação da H1N1 prossegue imunizando os acamados nas residências, abrigos e condomínios, imunizando o público prioritário de idosos e profissionais de saúde, nesta primeira etapa da campanha, que foi interrompida pelo número insuficiente de doses encaminhado pelo Ministério da Saúde aos estados e municípios.

A campanha iniciou com 16 mil doses, no dia 23.03. Praticamente no mesmo dia, acabaram as doses, suspendendo a campanha. Na sequência, chegaram mais três lotes, mas não em número suficiente para retornar com segurança a campanha aberta ao público. Para evitar viagens perdidas aos postos ou aglomerações, a secretaria optou em priorizar os idosos acamados, abrigados e com dificuldade de locomoção.

Vale salientar que a vacinação não parou, o atendimento está seguindo um cronograma em abrigos (estes já tiveram 100% de cobertura), nas residências e território do entorno, onde moram acamados e nos condomínios, seguindo uma agenda marcada com os síndicos, a exemplo do Coqueiral II, Green Village, Porto Antilhas, Morado do Janga, Zeppelin, Porto Bahamas, Porto Atenas, Conjunto Praia do Janga e Belo Horizonte.

“Tendo em vista a dificuldade que alguns idosos encontram para se deslocar de suas moradias até uma unidade de saúde, a equipe da Secretaria de Saúde do Paulista resolveu adotar uma nova estratégia, onde as vacinas vão de encontro aos idosos nos condomínios. Isso ajuda, inclusive, a evitar aglomerações”, afirmou Sheyla Seabra, coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI) do município.

Até o momento, Paulista já vacinou 85% dos profissionais em saúde e 55% do público idoso. Na medida em que chegam as doses, o município define uma área de cobertura para atingir o mais rápido possível a meta de vacinar 90% do público alvo definido pelo Ministério da Saúde, nesta primeira etapa da campanha que segue até 16 de abril, quando será iniciada a segunda etapa, que irá contemplar outro público prioritário, como profissionais da educação e de segurança e os doentes crônicos.

Por: Francisco Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário