.

.

11 de junho de 2020

Equipe do serviço de abordagem social entra em ação para tentar encontrar parentes de um idoso perdido no Janga

Um homem aparentando ter mais de 60 anos de idade está vivendo em situação de rua, no bairro do Janga, em Paulista, depois de se perder da família. Sem documentos, o idoso diz que se chama “José Gerônimo Campos Filho” e que nasceu no ano de 1949. Com vagas lembranças do passado, ele conta que morava em Casa Caiada, no município de Olinda, mas não recorda do endereço correto e nem dos contatos dos parentes. Preocupados com a situação, moradores da Rua Escada, onde o homem resolveu ficar, procuraram uma emissora de Tv para denunciar o caso. 

A equipe da Tv produziu uma reportagem sobre o caso, mas nenhum familiar apareceu para levar o idoso para casa. Foi aí que a equipe do serviço de abordagem social, da Secretaria de Políticas Sociais e Esportes do Paulista, foi acionada e entrou em ação para tentar encontrar parentes do homem. Os profissionais estiveram no local onde ele está vivendo e conversaram para tentar extrair informações que pudessem ajudar no processo de busca ativa pela família. Durante a entrevista, ele citou um endereço de uma prima chamada “Edenize”. A equipe chegou a ir ao endereço citado, mas não localizou ninguém.

Sem ter mais detalhes sobre a vida do idoso, a equipe do serviço de abordagem social começou a fazer contato com os municípios vizinhos e também o Governo do Estado para comunicar o caso e buscar alternativas conjuntas. Em paralelo, a equipe da secretaria conseguiu um local para o seu “José” ficar enquanto os familiares são localizados. O idoso passaria a “morar” numa residência no bairro de Pau Amarelo, onde funciona uma ONG que acolhe pessoas em situação de rua, especialmente, nesse momento de pandemia do novo Coronavírus.

Mas para surpresa da equipe da prefeitura, o idoso não quis deixar a rua. “Tentamos sensibilizar o seu José, mas ele não aceitou o convite de morar na ONG. Infelizmente essa é uma situação que acontece com frequência. Quem vive em situação de rua tem uma falsa sensação de liberdade. E saber que ir para uma casa, onde normalmente existem normas, preocupa quem nunca precisou cumpri-las”, destacou a diretora de Proteção Social Especial da Secretaria de Políticas Sociais e Esportes, Wanessa Marcela Araújo. 

Diante do caso, a equipe da prefeitura vai continuar visitando o seu José para tentar convence-lo a ir à sede da ONG. Paralelamente, os profissionais vão continuar fazendo a busca ativa pela família. “Não vamos desistir de encontrar os parentes. Sabemos que está não será uma missão rápida e fácil, mas com a ajuda de municípios vizinhos, do Governo do Estado e da imprensa as chances aumentam. Também vamos usar as redes sociais da prefeitura para poder chamar a atenção para o caso”, comentou a diretora do município Wanessa Marcela de Araújo. 

AJUDA – Apesar do momento difícil pelo que está passando, seu “José” deu sorte ao encontrar pessoas de bom coração na rua que decidiu “morar”. A aposentada Maria Valdete está ajudando ele sempre que pode com alimentação e cobertor para as noites mais frias. Ela, inclusive, colocou o contato à disposição para quem puder ajudar a localizar o paradeiro dos familiares do idoso. Quem puder ajudar pode ligar para o fone: 98346.6176. Outra opção é o contato do serviço de abordagem social: 99942.1328. 

Por: Francisco Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário