.

.

17 de junho de 2020

Junior Matuto recebe comerciantes para tratar da retomada econômica no Paulista

O prefeito do Paulista, Junior Matuto, recebeu uma comissão de empreendedores no segmento de bares e restaurantes para tratar da reabertura dos estabelecimentos comerciais na cidade. O encontro, que aconteceu no final da manhã desta quarta-feira (17.06), contou com a presença de proprietários de estabelecimentos comerciais do setor de alimentos e bebidas instalados no bairro de Jardim Paulista Baixo. Raul Silva, uma liderança comunitária do local, marcou este encontro para apresentar ao prefeito a situação dos comerciantes.

“Estamos muito apreensivos com a situação destes comerciantes. São pais de famílias que estão com seus estabelecimentos fechados, sem prazo para abrir. Viemos hoje aqui no gabinete do prefeito para pedir orientação e uma ajuda na construção dos protocolos sanitários, para que a gente possa se preparar para o momento da retomada”, explicou Raul Silva.

Presente à reunião, Flávio Nascimento, proprietário de um restaurante em Jardim Paulista Baixo, afirmou que está muito difícil manter a situação. “Estamos há mais de 90 dias com as portas fechadas, só funcionando delivery. Tivemos uma queda de receita de cerca de 80%, tivemos que demitir gente e enxugar todas as despesas, mesmo assim, a situação está insuportável. Sem ter de onde tirar dinheiro para pagar despesas básicas como água e luz. Não sabemos mais o que fazer, por isso, viemos aqui pedir ajuda ao prefeito. Mesmo sem ter ainda prazo para abrir, pelo menos nos sentimos acolhidos e com esperança”, destacou.

O ex-chefe de gabinete do município, Francisco Padilha, apresentou aos participantes da reunião, o Decreto do Governo do Estado que normatiza a retomada econômica em Pernambuco. Aproveitou para ler a recomendação do Ministério Público de Pernambuco em Paulista, sobre as diretrizes de reabertura de locais que possam causar aglomeração.

“Nós tivemos a pouco uma experiência que serve bem de parâmetro para esta situação. Levamos um bom tempo construindo protocolos sanitários com dezenas de pastores e líderes religiosos na cidade, baseados nesta construção decretamos a reabertura dos templos e igrejas, mas o Ministério Público entendeu que este não é o momento de retomada e recomendou a revogação do decreto. A gente entende o desespero dos comerciantes por conta do prejuízo acarretado pelas portas fechadas, mas infelizmente, temos que seguir as normas superiores”, justificou Padilha.

O prefeito Junior Matuto tentou deixar claro na reunião que apesar de compreender e querer ajudar os diversos segmentos que estão prejudicados pela necessária quarentena, seus poderes são limitados.

“Nós temos poder de restringir mais ainda o isolamento social. Por exemplo, se dia 22 estiver liberado a reabertura do comércio, eu tenho permissão de decidir pelo contrário, assegurando mais tempo de distanciamento social. Mas, não tenho autoridade de tomar decisão nenhuma que relaxe o distanciamento. É assim que o Ministério Público entende. Desta forma, nos resta pouco a fazer, a não ser orientar aos comerciantes sobre a construção do protocolo sanitário de convivência e seguir as normas sanitárias do Governo do Estado”, finalizou Junior Matuto. 

Por: Francisco Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário