.

.

1 de junho de 2020

Saúde realiza mais de 200 ações de desinfecção para evitar a disseminação do Coronavírus no Paulista

Nos últimos dois meses, a Secretaria de Saúde do Paulista realizou mais 200 ações de desinfecção em locais públicos na cidade para evitar a disseminação do Coronavírus. O trabalho preventivo já contemplou ruas e avenidas, terminais de ônibus, mercados públicos e feiras livres, unidades de saúde, serviços da assistência social, entre outros pontos considerados estratégicos por conta da circulação diária de pessoas.

O número faz parte do balanço divulgado nesta segunda-feira (1º.06) pela Vigilância Ambiental do município. O relatório destaca ainda as desinfecções no entorno do Hospital de Campanha, no Nobre; na área externa do Shopping North Way, onde os clientes da Caixa Econômica aguardam por atendimento, no Centro; no prédio administrativo da Prefeitura, em Maranguape I, onde funcionam diversos órgãos públicos; além das viaturas que estão sendo usadas nas ações da “linha de frente” no combate à Covid-19.

Paulista foi uma das primeiras cidades de Pernambuco a utilizar a sanitização como estratégia de combate ao Coronavírus. O processo consiste na aplicação de um produto especializado capaz de eliminar vírus, bactérias e fungos. De fácil aplicação, o desinfetante também é biodegradável, o que acarreta menos prejuízos ao meio ambiente.

A aplicação fica por conta dos Agentes de Combate às Endemias, que utilizam um pulverizador costal para aplicar o produto no maior número de locais. Vale lembrar que o vírus pode permanecer por algumas horas em superfícies como metal, vidro ou plástico. A desinfecção chega justamente para evitar que o vírus que provoca a Covid-19 se prolifere e acometa a população.

“Estamos visitando diversos locais considerados estratégicos para aplicar o sanitizante. Esse é um trabalho muito importante do ponto de vista da prevenção porque evita a disseminação do Coronavírus. Mas é válido lembrar que a população deve continuar mantendo os cuidados com necessários, como uso de máscara e de álcool em gel para higienizar as mãos”, ressaltou o superintendente de Vigilância em Saúde do Paulista, Fábio Diogo.

Por: Francisco Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário