.

.

19 de outubro de 2020

Em sabatina promovida pela FIEPE, candidatos à prefeitura do Recife apresentaram propostas de governo para o setor produtivo


Às vésperas das eleições, a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) promoveu, nesta segunda-feira (19), o Diálogo da Indústria com os candidatos à Prefeitura do Recife. João Campos (PSB), Charbel Maroum (Novo), Marília Arraes (PT), Mendonça Filho (DEM), Carlos Andrade Lima (PSL), Coronel Feitosa (PSC) e a Delegada Patrícia (Podemos) apresentaram suas propostas de governo e como pretendem atuar em prol do desenvolvimento da indústria pernambucana. A sabatina aconteceu na Casa da Indústria, no bairro de Santo Amaro, e foi transmitida ao vivo no Youtube da instituição.

Para melhorar o ambiente de negócios da cidade e aproximar o setor privado do setor público, João Campos anunciou que pretende criar uma agência de fomento, a Invest In Recife, para ajudar na atração de novos investimentos para a geração de emprego e de renda. “Por meio da Invest in Recife, discutiremos com as empresas que já têm interesse em investir no Nordeste e buscaremos outras com capacidade de expansão para a nossa região. Queremos ser parceiros do investidor, desburocratizando processos e serviços para facilitar a implantação de novos projetos e a ampliação de empreendimentos privados já instalados”, disse.

Já Charbel Maroum defendeu a redução da carga tributária com o objetivo de diminuir a burocracia e beneficiar os empreendedores recifenses. “Vamos valorizar quem empreende, quem gera recurso para a cidade. É através do setor empresarial que a gente cria emprego e melhora a qualidade de vida das pessoas. Por isso, precisamos de uma reforma administrativa, reduzir a alíquota de IPTU, apoiar a reforma tributária e implantar a lei da liberdade econômica”, comentou.

Terceira candidata a participar da sabatina, Marília Arraes comentou que pretende realizar revisões tributárias, incentivar a instalação de pequenas indústrias em áreas periféricas da capital e apoiar os microempreendedores individuais. “Vamos retomar o diálogo para que o setor produtivo seja escutado. Também vamos criar um programa de microcrédito para os pequenos, médios e grandes empresários. É possível destinar 1% da receita corrente líquida para ajudar esses empresários e os trabalhadores informais. Tudo isso vai gerar emprego e fazer a economia do Recife girar”, pontuou.

Em seguida, Mendonça Filho defendeu que irá cuidar do saneamento básico, requalificar o centro do Recife e melhorar o ambiente econômico. “Infelizmente a gente tem um ambiente hostil para a geração de empregos no Recife. Quantos empresários pernambucanos não têm base na Paraíba para que a nota fiscal seja emitida por lá? Nós temos a maior carga de impostos per capita das capitais do Norte e Nordeste do país. É por isso que lançamos a ideia do congelamento por dois anos do IPTU e da taxa de lixo, que, inclusive, para muitos pequenos negócios é até maior que o IPTU”, falou.

Defendendo que todos os temas estão interligados, o candidato Carlos Andrade Lima propôs uma nova abordagem para a questão do lixo, com o objetivo de trazer ganhos para o setor produtivo – a criação de um mercado de resíduos sólidos. “O que é resíduo para uma indústria muitas vezes é matéria-prima para outra. Muitas vezes essas indústrias não conseguem dialogar. E iremos ter a FIEPE como grande mediadora desse projeto”, disse. Além disso, o candidato destacou que residências e indústrias que ajam em conformidade com as novas práticas de meio ambiente poderão ser beneficiadas com isenções tributárias.

Sexto candidato a responder às perguntas dos empresários, o Coronel Feitosa apresentou como proposta o estudo das vocações econômicas dos bairros e o fortalecimento da educação a partir desse cenário. “Esse diagnóstico irá identificar onde estão as empresas, os comércios e as indústrias e vamos qualificar a mão de obra ali mesmo. Nos bairros, existem muitas escolas municipais que estão fechadas à noite. O jovem poderá ir a pé, ou de bicicleta, e terá o treinamento para a atividade que é inerente à vocação daquele local. Assim, ele será colocado no mercado de trabalho”, detalhou.

Encerrando o Diálogo da Indústria, a Delegada Patrícia destacou a importância da formação adequada para os futuros profissionais. Entre as propostas apresentadas pela candidata, está o estabelecimento de parcerias público-privadas para o ensino técnico de alunos da rede municipal. “Quando falamos em formar nossos jovens em Tecnologia da Informação, estamos falando em mais do que formá-los para o emprego do futuro – estamos falando em formá-los para os empregos do presente. Formaremos os jovens nessa área para que essas vagas sejam ocupadas. Nosso investimento é em qualificação para gerar empregabilidade”, reforçou.

Na oportunidade, todos os postulantes tiveram cinco minutos de abertura e 20 minutos para apresentar as propostas ao governo. Depois, os candidatos responderam três perguntas previamente gravadas em vídeos pelos empresários, sobre meio ambiente, educação, saúde, mobilidade/infraestrutura e ambiente de negócios. Por fim, os postulantes tiveram cinco minutos para fazer as considerações finais. A ordem dos candidatos foi definida por meio de sorteio virtual, que contou com a participação de um representante da coligação dos candidatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário