.

.

20 de fevereiro de 2021

Procura pelo curso técnico em Tradução e Interpretação de Libras na Rede Estadual cresce


Em tempos de pandemia, onde a recomendação de órgãos de saúde de diversas partes do mundo é o isolamento social para a contenção da Covid-19, as transmissões ao vivo pela TV e Internet cresceram exponencialmente. Consequentemente, o mercado de trabalho para intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras), sempre presentes nessas lives, também ascende. Na Escola Técnica Estadual (ETE) Almirante Soares Dutra, situada no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, o número de inscritos no curso técnico em Tradução e Interpretação de Libras bateu recorde para o ano letivo de 2021. 

Criado em 2006, o curso técnico de Tradução e Interpretação de Libras da Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE) é o pioneiro no Brasil. Ofertado na modalidade subsequente (para quem já concluiu o Ensino Médio), ele já formou mais de 200 intérpretes no Estado. Com duração de dois anos, o curso forma profissionais para atuarem em todas as áreas do mercado. A pandemia do novo Coronavírus, segundo George Bento, gerente-geral de Educação Profissional da Secretaria de Educação e Esportes (SEE), deu mais visibilidade a este profissional, visto que a maioria das transmissões de pronunciamentos oficiais de governos e conteúdos de entretenimentos contam com tradução de Libras para o público. 

“O intérprete sempre foi muito importante em toda a sociedade, mas ele ganhou ainda mais evidência durante a pandemia, quando o Brasil inteiro se preocupou em fazer lives com um tradutor. E, naturalmente, as pessoas foram se informando mais e isso aumentou a vontade de buscarem uma oportunidade de trabalho e uma profissão”, frisou Bento. 

Para o ano letivo de 2021, mais de mil pessoas se inscreveram no curso técnico de Tradução e Interpretação de Libras, disponível somente na ETE Almirante Soares Dutra. Em relação aos anos anteriores, a procura aumentou mais de 100%. “Este é um número muito grande se a gente for comparar com os outros anos. A cada semestre, nós ofertamos 45 vagas e ficamos muito surpresos com o aumento de interessados. Estamos estudando a possibilidade de lançar esse curso técnico à distância, para que o Estado inteiro possa fazer”, acrescenta George Bento. 

Efraim Canuto é ex-aluno do curso técnico da ETE e atualmente é professor de Libras da Rede e das transmissões do Educa-PE. Ele concluiu o curso em 2018 e está otimista com as oportunidades do mercado e com a inclusão que este boom está causando. “O intérprete tem um leque de possibilidades de trabalho. No decorrer do curso, o aluno pode se identificar com uma área específica e investir nela. E tem várias: saúde, educação, entretenimento, turismo, entre outras. O primeiro contato que eu tive com a Libras foi na igreja. Me interessei e vim fazer o curso. É um sonho ver a acessibilidade crescendo. E para a gente que trabalha com inclusão, o mais gratificante é ver essas pessoas (surdas) sendo incluídas e compreendidas em todos os segmentos da sociedade”, declarou o professor.

Jéssica Santos também é ex-aluna da ETE e trabalha como intérprete no contexto cultural. Ela participa de lives, shows e propagandas de televisão. “Eu sempre fui apaixonada por Libras e a minha intenção, a princípio, era somente aprender. Mas aqui eu recebi diversas propostas e cheguei em lugares que nunca imaginaria. Por conta do curso eu me encontrei na área da educação e estou fazendo pedagogia bilíngue e quero investir ainda mais nessa profissão que está me dando diversos retornos positivos. Espero que mais pessoas busquem se qualificar nessa área”, disse a intérprete.

Para o ano letivo de 2021, as 45 vagas já foram preenchidas. A próxima seleção deve acontecer no mês de junho, para o segundo semestre. Os interessados podem ligar para o número (81) 3183-9833, da Gerência-geral de Educação Profissional (3183-9833), e devem ficar atentos ao site da Secretaria de Educação e Esportes (www.educacao.pe.gov.br).

Nenhum comentário:

Postar um comentário